Sunday, 1 June 2008

EM MAIO: A MUSICA DOS “3 REIS” REVISITADA

Artur Nunes, David Ze’ e Urbano de Castro. Foram apelidados “Os 3 Reis Magos da Cancao Angolana”. Desapareceram, para sempre, em Maio de 1977.
A musica deles ficou.
Para sempre.

ARTUR NUNES

Nasceu em 1950, de pai Norte-Americano e de mae Angolana, tendo comecado a cantar em finais de 60. O seu gosto pelo canto surge nos kombas, rituais funebres onde as velhas entoam canticos dolentes. Belina, Kizua Ki Nguifua, Tia, foram cancoes de grande sucesso, que expressam a dor e a saudade. A forma impar de interpretar os “Cantares da Alma” valeu-lhe o apelido de “O Espiritual”. Entre 1972 e 1976, gravou 12 singles e tambem dois temas na colectanea Rebita 75.(*)





Free file hosting by Ripway.com



Belina




Free file hosting by Ripway.com



Kizua Ki Nguifua




Free file hosting by Ripway.com



Tia

DAVID ZE'
Nasceu em 1944 numa familia vocacionada para o canto. Os seus pais eram coristas da Igreja Metodista e os cantores Dilangue e Gaby Moy sao seus irmaos. E’ considerado como um dos maiores compositores. O quotidiano inspira as suas cancoes. Temas como Rumba Zakutine expressam a satira social.(*)





Free file hosting by Ripway.com



Mama Kudile




Free file hosting by Ripway.com



Rumba Zakutine




Free file hosting by Ripway.com



Mona Ku Jimbe Manheno

URBANO DE CASTRO
Conhecido nos suburbios de Luanda como “brigao de respeito”, tornou-se rapidamente um dos grandes artistas dos palcos luandenses. Gravou primeiro para a etiqueta Ngoma e em seguida para Fadiang, um total de 27 singles e mais 4 temas inseridos no LP Rebita 75. A sua linha musical comporta uma grande variedade de generos, com influencias latino-americanas, como em Rosa Maria e sobretudo sembas cadenciados como Semba Lekalo.(*)





Free file hosting by Ripway.com



Nvula




Free file hosting by Ripway.com



Semba Lekalo




Free file hosting by Ripway.com



Rosa Maria


Maio. Tempo de revisitacao do 27. Em silencio, primeiro. Durante as duas primeiras decadas que se seguiram aquele dia prenhe de mudez. Clandestinamente. Menos silenciosamente depois.





Free file hosting by Ripway.com



Kamba Dia Me - Nanutu (Original de David Ze')

Cada vez menos silenciosamente agora. A musica ficou. A nova geracao de musicos e poetas a revisitam, a releiem, a reeditam, a retocam. Todos a revivemos. Todos os libertamos.
Eles estao vivos.
Algures na nossa memoria colectiva.






Free file hosting by Ripway.com



Belina - Paulo Flores (Original de Artur Nunes)

Para sempre.

(*) Dados biograficos por Jorge Macedo, Artur Arriscado, João Chagas, Gilberto Junior e Ariel de Bigault, in Angola 70’s (Buda Musique 1999)
Artur Nunes, David Ze’ e Urbano de Castro. Foram apelidados “Os 3 Reis Magos da Cancao Angolana”. Desapareceram, para sempre, em Maio de 1977.
A musica deles ficou.
Para sempre.

ARTUR NUNES

Nasceu em 1950, de pai Norte-Americano e de mae Angolana, tendo comecado a cantar em finais de 60. O seu gosto pelo canto surge nos kombas, rituais funebres onde as velhas entoam canticos dolentes. Belina, Kizua Ki Nguifua, Tia, foram cancoes de grande sucesso, que expressam a dor e a saudade. A forma impar de interpretar os “Cantares da Alma” valeu-lhe o apelido de “O Espiritual”. Entre 1972 e 1976, gravou 12 singles e tambem dois temas na colectanea Rebita 75.(*)





Free file hosting by Ripway.com



Belina




Free file hosting by Ripway.com



Kizua Ki Nguifua




Free file hosting by Ripway.com



Tia

DAVID ZE'
Nasceu em 1944 numa familia vocacionada para o canto. Os seus pais eram coristas da Igreja Metodista e os cantores Dilangue e Gaby Moy sao seus irmaos. E’ considerado como um dos maiores compositores. O quotidiano inspira as suas cancoes. Temas como Rumba Zakutine expressam a satira social.(*)





Free file hosting by Ripway.com



Mama Kudile




Free file hosting by Ripway.com



Rumba Zakutine




Free file hosting by Ripway.com



Mona Ku Jimbe Manheno

URBANO DE CASTRO
Conhecido nos suburbios de Luanda como “brigao de respeito”, tornou-se rapidamente um dos grandes artistas dos palcos luandenses. Gravou primeiro para a etiqueta Ngoma e em seguida para Fadiang, um total de 27 singles e mais 4 temas inseridos no LP Rebita 75. A sua linha musical comporta uma grande variedade de generos, com influencias latino-americanas, como em Rosa Maria e sobretudo sembas cadenciados como Semba Lekalo.(*)





Free file hosting by Ripway.com



Nvula




Free file hosting by Ripway.com



Semba Lekalo




Free file hosting by Ripway.com



Rosa Maria


Maio. Tempo de revisitacao do 27. Em silencio, primeiro. Durante as duas primeiras decadas que se seguiram aquele dia prenhe de mudez. Clandestinamente. Menos silenciosamente depois.





Free file hosting by Ripway.com



Kamba Dia Me - Nanutu (Original de David Ze')

Cada vez menos silenciosamente agora. A musica ficou. A nova geracao de musicos e poetas a revisitam, a releiem, a reeditam, a retocam. Todos a revivemos. Todos os libertamos.
Eles estao vivos.
Algures na nossa memoria colectiva.






Free file hosting by Ripway.com



Belina - Paulo Flores (Original de Artur Nunes)

Para sempre.

(*) Dados biograficos por Jorge Macedo, Artur Arriscado, João Chagas, Gilberto Junior e Ariel de Bigault, in Angola 70’s (Buda Musique 1999)

19 comments:

Koluki said...

Caro umBhalane: os '3 Reis' devem estar a mandar uns feiticos ou magias encantatorias para este post... pos-me o blog todo de patas para o ar e tive que o apagar completamente e voltar a edita-lo completamente de novo.
No processo, o seu comentario foi-se...
Se o quiser recolocar, seja benvindo.

Obrigada.

Koluki said...

... Acabo de reparar que afinal fez o comentario no post anterior...
never mind!

Denudado said...

Por uma trágica ironia, Artur Nunes fala da sua morte na canção Kizua Ki Nguifua ("No dia em que eu morrer"), na qual pede para não ser chorado.

Impossível satisfazer-lhe o pedido. Ainda hoje me pergunto como foi possível acontecer o que aconteceu em Angola em 27 de Maio de 1977.

Koluki said...

Denudado, kamba dia me:

Vejo que o seu Kimbundu nao e' assim tao rudimentar quanto as vezes nos quer fazer crer, mesmo se apenas com a ajuda de diccionarios e gramaticas como uma vez mencionou...
Mas, para la' da lingua, o que e' importante mesmo e' a capacidade de captar o sentimento, o 'cantar da alma', que tao bem demonstra.
Sempre.

Obrigada.

Maria Muadiê said...

Oi, querida. Estou mais ou menos...meu pai está com sérios problemas de saúde, eu continuo em eterna e cansativa crise profissional. POr outro lado, há alegrias, minha filha cresce bem, tenho amigos muito bacanas, adoro ler, cuidar das plantas, ouvir música....
Vixe! que resposta longa!!! Tudo isso pra lhe dizer que penso que ele "exagerou" poeticamente. Acho que quis chamar atenção da posição da mulher em sociedades de todo o mundo.

Um beijo,
Martha

Koluki said...

Poxa Martha, isto e' que se chama mesmo estar ONLINE!
Trocamos mensagens com intervalo de pouquissimos minutos... lindo!

Pena o estado de saude do seu pai. Oxala' ele melhore rapido.
Mas, como voce mesma diz, ha' sempre o outro lado da vida, com suas alegrias e todas as coisas boas que ela nos da'.

Quanto a crise profissional, minha querida, se precisar de umas dicas e' so' pedir porque eu sou PERITA nisso!

Agora, quanto a musica do Lennon... Eu entendi que e' uma cancao bem intencionada em relacao a posicao da mulher na sociedade, mas ficou-me a sensacao que para se valorizar a mulher se 'desvalorizou' (ainda que nao intencionalmente) uma outra 'categoria social'. E' que a utilizacao da palavra 'nigger', em qualquer que seja o contexto, sobretudo se numa analise comparativa, soa mesmo mal e denota alguma insensibilidade a um certo nivel, pelo menos em minha opiniao. E, ja' agora, parece-me que aquela cancao vai mais com o perfil da Yoko do que do John...
But, anyway, como eu tb. costumo dizer, o que conta e' a intencao.

Beijo grande e te cuida menina!

Diasporense said...

Santana, Santana, Santana
Santana, Santana, Santana
Santana Kamba Diami
Santana eh....

Obrigado minha irma por este reviver dos nossos melhores tempos. Eles estao vivos sim, na nossa memoria e na nossa musica.
Agora o que seria bonito mesmo era o Nanutu e o Paulo Flores entregarem pelo menos uma parte dos royalties dessas gravacoes as familias dos malogrados, nao eh?
Estamos juntos!

Koluki said...

Diasporense: completamente de acordo e estamos juntos meu irmao!

Joca Mangope said...

Porque que voces ponhem essa musica classica ai no fundo?? Sera que existe como tirar isso quando se esta a escutar uma das musicas dos 3 da videirada??

Koluki said...

Joca Mangope: em primeiro lugar seja bem vindo a esta casa, seja quem for e venha donde vier, desde que venha por bem!
A musica classica que esta' a ouvir e' o "Hino da Alegria" de Beethoven em saudacao a nomeacao do primeiro Afro-Americano na Historia para a presidencia dos EUA!
Para deixar de o ouvir va' ao fundo da pagina onde podera' encontrar o respectivo 'monitor' e fazo-lo parar. Pode entao ouvir o que quiser.

Mas olhe que isso dos "3 da videirada" nao sei se e' muito apropriado para os nossos '3 reis'...

Maria Muadiê said...

Oi Ana, entendo o que você diz quanto a conotação depreciativa da palavra nigger.
Mas a minha compreensão é que nessa música a palavra nigger também é usada como "denúncia".
Talvez eu esteja contaminada pela Literatura Negra Brasileira.

beijos,
Martha

Koluki said...

Martha,

Em primeiro lugar tenho que lhe agradecer o facto de me ter feito conhecer essa musica que nao me lembro de antes ter ouvido ate' que a encontrei no seu blog.
Agora mesmo resolvi fazer uma breve pesquisa sobre ela e, embora nao me tenha espantado, pude confirmar que, como eu suspeitava, a frase "woman is the nigger of the world" partiu da Yoko e que provocou bastante controversia nos EUA, tendo sido banida em algumas radios (aqui no UK, onde a musica do John Lennon continua a ser celebrada quase todos os dias em praticamente todos os media, nunca a ouvi).
Essa info. acabei de a encontrar aqui:

http://en.wikipedia.org/wiki/Woman_Is_the_Nigger_of_the_World

Onde tb. ha' um link para um video em que o John explica o contexto em que a musica surgiu e as varias reaccoes que teve:

http://en.wikipedia.org/wiki/Woman_Is_the_Nigger_of_the_World

Ele diz nomeadamente que as pessoas que reagiram mal a cancao sao "geralmente brancos e homens"... ora, eu nao sou nem uma coisa nem outra e nao posso dizer que tenha reagido bem...

Evidentemente, Martha, tal como voce, as reaccoes das pessoas variam de acordo com as suas experiencias individuais e a percepcao que teem do papel da mulher na sociedade de uma forma geral. Mas, do meu ponto de vista ha' pelo menos alguns factores objectivos (isto e' que nao dependem exclusivamente de percepcoes e/ou interpretacoes) que devem ser tidos em conta na apreciacao dessa cancao, e.g.:

- As escravas negras (particularmente nos EUA e no Brasil) foram-no especialmente de mulheres brancas, sendo notavel o seu papel como amas-secas e "maes de leite" dos filhos das suas "sinhas"... Ora, sera' que essas mulheres possuidoras de escravas eram "the slaves of the slaves, the niggers of the world"?

- Nao creio que, de uma forma geral, se possa generalizar o papel da mulher na sociedade (e muito menos em todas as sociedades "across cultures and histories" como a musica deixa implicito e creio que e' dito explicitamente tb. num desses sites) e reduzi-lo a um estereotipo, seja esse estereotipo o "we make her paint her face and dance" ou "she's the nigger of the world"...

- Quando ele diz "just look to the one you're with" sera' que ele estaria a olhar para a Yoko Ono? Sera' que a Yoko pensou em si propria quando fez aquela afirmacao e depois a desenvolveu em musica?!

Essas apenas algumas das interrogacoes que me deixam desconfortavel perante a letra dessa cancao.

Bjs.

Maria Muadiê said...

Entendo.
Já a minha percepção, é que, de uma maneira geral, em quase todas as sociedades, o poder é masculino e subjuga a mulher.
Há um tempo, houve um cogresso aqui em Salvador, reunindo a diáspora africana. Numa discussão entre mulheres de diferentes lugares, foi dito que ainda não existe uma Declaração Universal do Direito das Mulheres, pois a que temos é a Declaração Universal dos Direitos dos Homens.
É sob esse ponto de vista que eu penso e compreendo esta letra.
Beijo,
Martha

Koluki said...

Bom, Martha, esta e' uma questao sobre a qual teremos que ficar mesmo cada uma com as suas percepcoes, conviccoes e opinioes.
Como deve ter reparado, eu tenho opinioes um tanto controversas, mas firmes, sobre o papel das mulheres, de uma forma geral, na sociedade.
Seria no minimo cegueira da minha parte negar que em grande medida, como cantava o Godfather of Soul, "this is a man's world"... em grande medida mas, do meu ponto de vista, nao totalmente!
E, quanto a mim, isso deve-se em grande medida as proprias mulheres - na forma como se relacionam com os homens e com outras mulheres. Seria interessante olhar desapaixonada e desmilitantemente para a forma como as mulheres se auto-subjugam aos homens das mais diversas formas e nas mais diversas circunstancias, e.g. voltando brevemente a cancao que provocou esta longa conversa: sera' que as mulheres "pintam a cara" exclusivamente porque os homens a isso as obrigam, ou para servir as suas proprias estrategias de seducao?
E, mais revelador ainda do que isso, e' a forma como as mulheres sao capazes de fazer todo o tipo de aliancas espurias com os homens para "deitarem abaixo" outras mulheres... a minha experiencia na blogosfera tem sido suficientemente explicita em relacao a isso! E quando nao fazem esse tipo de aliancas com homens, fazem-no com outras mulheres igualmente movidas pelos mesmos sentimentos mesquinhos, ou agem por si proprias, mas invariavelmente sob anonimato...
E nao falarei aqui mais da forma como nao so' por tras de todo e cada um dos desaires que tenho tido na blogosfera tem estado uma mulher, como os maiores desaires que ja' sofri ao longo da minha vida pessoal e profissional me foram infligidos por mulheres!
Nao direi que tenho tido invariavelmente uma "optima relacao" com individuos do sexo masculino, mas o que e' facto e' que a accao destruidora das mulheres no meu caso tem sido insuperavel!
E tudo porque?! Odio, ciume, inveja, racismo, complexos de todo o tipo...
Com que objectivo?! Desmoralizar-me, destruir tudo o que de bom, mesmo em nome das mulheres e para seu beneficio, directa ou indirectamente, eu possa tentar fazer, ao expor as minhas ideias (e as de outros), ao tentar de algum mode servir o meu pais e o meu continente... ao fim e ao cabo, fazer-me desistir de um DIREITO(o de estar na blogosfera, como mulher e como ser humano) que nao lhes passa pela cabeca questionar ou por em causa quando se trata de homens...
Havera' alguma "declaracao universal" que resolva isso?!
Que eu saiba a declaracao, entre muitas outras, que existe e' a "Declaracao Universal dos Direitos Humanos" - da qual tenho ai exposto o seu artigo 19 precisamente para chamar a atencao para um direito que me tem sido sistematicamente, de uma forma ou de outra, negado. E que eu saiba tambem, tanto homens como mulheres sao "humanos"!
Mas para alem dessa, ha' uma multiplicidade de declaracoes em defesa dos direitos das mulheres, das quais uma das mais importantes e' a "Declaracao de Beijing".
Por tudo isso e muito mais, minha querida, continuo a achar o conteudo dessa cancao indefensavel e ofensivo para aquelas mulheres que ao longo de seculos e por geracoes que ate' hoje se perduram teem sido efectivamente (nao apenas eufemisticamente) tratadas como "niggers"!
Termino com algo que aqui ja' disse repetidamente: por todas essas razoes, valorizo tremendamente mulheres como voce!

Bjs.

VDV said...

Na minha modesta opinião, essa música até degrada a imagem das mulheres fazendo-lhes passar por umas meras marionetas sem vontade própria nas mãos dos homens.
Quanto ás declarações internacionais, acho que é preciso as mulheres serem educadas sobre o seu conteúdo e como defenderem os seus próprios direitos.
Bjs.

Koluki said...

D'ac VDV!
E e' tb. importante as mulheres aprenderem a defender os seus direitos sem pisarem os de outras mulheres!

Koluki said...

Ja' agora, e porque vem a proposito ilustrar uma outra faceta da "problematica das mulheres" ou, mais precisamente, o tipo de "conundrums" em que mulheres como eu estao sujeitas a ver-se emaranhadas ao longo da sua vida, deixo aqui o registo de uma conversa que tive em Setembro do ano passado numa network de Mulheres Negras.
A conversa partiu de um comentario meu a uma mensagem que na altura postei aqui no blog (http://koluki.blogspot.com/2007/10/representations.html). Por razoes de proteccao da privacidade de terceiras pessoas, nao transcrevo aqui esse meu comentario inicial.

As intervencoes da minha interlocutora sao denotadas com A e as minhas com B:

A: These sort of things happening around us, are the ones that make Black children have low self esteem.
I was saddened by reading an article in The Voice this week, that black Children of ages four to six who were interviewed using a BLACK and a WHITE DOLL, they preferred the white doll, and not only that they also preferred to be white, because BLACK IS A DIRTY COLOUR. How sad can that be.
It does not make it any better, when you find some of our Black sisters trying to BLEACH and become lighter. Is that a sign of having inferiority complex or what?
We as Black should also stop being racist against one another first. I have witnessed cases in families, where one child might have a lighter skin then the other, and the lighter skin child seems to think he or she is better and prettier.
Sorry if I have said too much, but the whole thing makes me very sad.

B: I'm not sure if I know you, but since I was the first to react to this message, I felt that I should also say something on your comment.
Let me say first that I wouldn't normally react to this sort of thing as I did, particularly if my reaction can be misinterpreted as "attention seeking" or something of that sort. However, I decided in the last few years to no longer accumulate certain feelings inside for fear of retaliation. Put briefly: I've had enough of getting all sorts of blows from all sides: BLACK, WHITE, BROWN or YELLOW, in most cases without even understanding WHY!
You are absolutely right about the low-self esteem of some of our children, but who buys them the white dolls in the first place?
You are also right about the black women attempting to lighten their skin, to which I would add those who wear wigs, "white hair extensions", etc., but if these are adult women why do they do that? Isn't it in the first place because black men prefer them like that, or simply because black women have that perception?
Now going to the point that affects me particularly, I happen to be someone who was born with a lighter skin in my family, but I never felt better or prettier than anyone because of that. However, I find it interesting that you talk about the lighter-skinned child "feeling superior", but not of the darker-skinned one "feeling inferior" for no fault of the lighter-skinned and just attacking and bullying her senseless because of her own feelings of inferiority. Another way in which this manifests itself is through jealousy whereby the "lighter skinned" one is invariably perceived as a rival that can take other's men... so, "before she does that, let's keep her far away"! So, basically, I would like to call attention to the need for people not being one-sided in their analysis of "black racism against each other".
In any case, the message I really wanted to pass with my initial comment was that we ALL tend to react more to what goes on in the outside world through the media or high profile campaigns while totally ignoring what goes around us in OUR OWN families, neighbourhoods and close communities.
Sorry if I said too much as well, but there's no other way to mutual understanding than talking openly about this sort of thing.

A: May be the word racist was a bit too much. May be I should have said colour prejudice amongst us blacks.
An incident occured at my work place today. I have a very dark complexion, so this African lady of a lighter complexion asked me where I am from, I told her and her answer was "I thought so". being an African, she should know that where she comes from, there also dark skinned people like me. No wonder our children grow up feeling inferior.
Ana, don't worry about what people think of you, as the saying goes, no one can fit into your skin BUT YOU.

B: Well, I would suggest that in face of that kind of accident you should confront directly the person in question and not keep it inside you to hold it as a grudge against all light-skinned black people. That's what I would've appreciated all throughout my life when I was being attacked, bullied and abused because of my skin tone, complexion, or whatever... That hurts much more than when coming from white people or any other race and this has to be realised by blacks of ALL "colours"!
And it's not just a matter of hurting, it's a matter of causing long term damage to other people for no valid reason or for a reason that could be resolved through a healthy discussion.
I could tell you countless real stories happened to me in a workplace I recently had in Africa: all around darker people bullying me out of my job not just because of my skin complexion, but because I was living in Europe, or had better academic qualifications and experience... To such a point that they ganged-up on me with even some of their worst enemies of other races who also wanted to get rid of me for their own reasons... And this was Afrika! And all this because of inferiority complexes of "darker-skinned" sistas...
Sorry if once again I said too much!

Anonymous said...

Aqui fica uma pergunta, como e q musicos como esse tal de Nanutu, individuo tao mentiroso, sem classe, beberrao, patrocinado por filhinhas de generais de meia tigela em troca de sexo barato e desnaturado pode ca estar a representar grandes musicos da epoca como no caso de David Ze. Sinceramente Angola......A diganidade acima da falta de caracter...E ai esta...... todo o estupido aplaude esse vigarista sem caracter mentiroso e beberrao

Koluki said...

Anonymous: apenas publiquei o seu comentario e decidi responder-lhe porque com ele talvez aprendamos alguma coisa. Nomeadamente que quando se pretende desferir ataques pessoais contra quem quer que seja, faco-o frontalmente, usando a sua identidade, nao no anonimato...
Neste blog nao pratico, nem encorajo a maledicencia - porque e' disso que se trata no seu comentario: maledicencia. Repare que nem sequer estou a dizer que o que diz e' mentira ou verdade, mesmo porque nao conheco o Nanuto, muito menos a vida dele publica, ou privada. Soube apenas da sua existencia como musico muito recentemente e e' isso o que me interessa: a musica que ele faz. A qual nao sera' magistral, mas que e' de boa qualidade, se considerarmos que dificilmente encontramos um saxofonista em Angola...
A unica coisa que sei do Nanuto, porque me foi dito pela pessoa que pela primeira vez me falou dele, e' que ele tocava com o David Ze' no conjunto "FAPLA - POVO", por isso acho de muito bom tom que ele tenha decidido prestar a sua homenagem como musico a um dos nossos Reis. Um acto que e', ademais, corajoso, numa altura em que, embora a musica dos 3 reis ja' tenha, depois de 3 decadas, sido "libertada" em Angola, ainda constitui um risco abordarem-se temas relacionados com o 27 de Maio e, pior ainda, homenagear as suas vitimas. Por isso, considero essa musica do Nanuto digna de nota e por isso aqui a inclui.
Nao precisa de aplaudir... mas, por favor, atenha-se a musica e nao a pessoa que a faz!
Obrigada.