Saturday, 16 August 2008

NOTA EN PASSANT

Acabo de descobrir, nao exactamente por acaso, mas quase, que o livro de Paula Tavares "A Cabeca de Salome'", (do qual pouco mais tive ate' agora oportunidade de ler do que este texto que aqui publiquei quando o recebi, juntamente com o "Manual Para Amantes Desesperados", com simpaticas dedicatorias da autora, no ano passado) e' composto por um conjunto de cronicas por ela publicadas no Publico entre 1999 e 2002... Ou seja, pelo menos durante os ultimos seis meses desse periodo, houve, sem que eu o soubesse ate' agora, a coincidencia de eu tambem ter publicado uma serie de cronicas no Semanario Angolense... Agora comeco a perceber (melhor?) algumas coisas... e a ter uma maior nocao do quanto de facto tenho estado afastada do mundo lusofono...
Mas, este e' apenas um apontamento para notar um acontecimento digno de nota.
Acabo de descobrir, nao exactamente por acaso, mas quase, que o livro de Paula Tavares "A Cabeca de Salome'", (do qual pouco mais tive ate' agora oportunidade de ler do que este texto que aqui publiquei quando o recebi, juntamente com o "Manual Para Amantes Desesperados", com simpaticas dedicatorias da autora, no ano passado) e' composto por um conjunto de cronicas por ela publicadas no Publico entre 1999 e 2002... Ou seja, pelo menos durante os ultimos seis meses desse periodo, houve, sem que eu o soubesse ate' agora, a coincidencia de eu tambem ter publicado uma serie de cronicas no Semanario Angolense... Agora comeco a perceber (melhor?) algumas coisas... e a ter uma maior nocao do quanto de facto tenho estado afastada do mundo lusofono...
Mas, este e' apenas um apontamento para notar um acontecimento digno de nota.

2 comments:

VERONICA BENESI said...

Kerida mana Koluki!

Começo já pedindo suas desculpas pela minha ignorância. Embora eu seja muitíssimo interessada em culturas africanas, tenho, ainda, muito, muito, muito o que aprender...
É o seguinte: pesquisando um pouco mais sobre a literatura angolana, achei, no site da UEA, algumas belíssimas poesias: "Xicala", "Canção para uma mulher", "Aos homens da noite", "Desafio" e "Ralhete", cuja autoria é atribuída a Ana de Santana.
Primeiro, gostaria de confirmar se essa autora é mesmo a Koluki.;-)
Segundo, sendo você a autora, gostaria da sua autorização (ou não, o que seria uma pena) para postar uma delas (ou todas, se você permitir) no meu blog, que, como você sabe, é dedicado à literatura, especialmente as afro-brasileira e africanas.
Por último, gostaria de dizer o quanto me orgulha ter conhecido uma mulher tão culta, tão corajosa, tão forte e sensível. E, além disso, tão honesta com seus próprios sentimentos, revelados em seus textos - poéticos ou não.
Obrigada por ter me incluído em sua vida.
Beijos de sua irmã
Veronica

P.S.: Será que eu poderia saber o significado de KOLUKI?:)

Koluki said...

Veronica, minha kerida irma, mais uma vez me deixa atrapalhada com palavras tao elogiosas… Nao sei se as mereco inteiramente, mas nao tenho duvidas de que quem e’ capaz de as proferir certamente as merece muito mais do que eu!
Claro que pode publicar os meus poemas no seu blog – e’ para mim uma grande honra!
E sabe uma coisa? Eu tambem descobri a antologia de poesia feminina da UEA em que esses poemas estao incluidos ha’ cerca de duas/tres semanas e tinha planeado fazer aqui um post sobre ela e uma outra, de poesia Angolana em geral, que tambem la’ esta’… Vou faze-lo um dia destes.
Beijo grande!

P.S.: Koluki e’ um nome Bakongo que, em Kikongo, significa “aquela/e que tem visao” e foi-me dado pela minha falecida avo materna.