Friday, 5 October 2007

O MEU LICEU...





D. Guiomar de Lencastre…
Produziu tanto Meninas Guiomares de Lencastres, protegidas na Sala das Professoras… Como Mulheres desprotegidas na Cerca, que o fizeram Nzinga Mbandi... .
… E talvez por isso as clarividentes alunas, que sempre tinham visto o meu nome no Quadro de Honra desde 1972, me elegeram a dada altura sua representante no Conselho Directivo

E talvez tambem por isso fiz parte do grupo de 4 alun(a)os que, entre centenas, passaram aquele ano de recuperacao em que nos impuseram exames obrigatorios (eu que estava habituada a dispensar de exames…), depois de termos – nos os que davamos a pele, o sangue, o couro, o cabelo e as ‘sokas’ de madeira a fugir dos tiros da tropa ainda colonial a tentar dispersar as nossas manifestacoes, mais infindaveis horas das nossas jovens vidas em RGAs, pela PATRIA que julgavamos se estava a construir – “desconstruido” o Geronimo Wanga… e transitei para o complementar no Mutu Ya Kevela, esse outro Liceu, a.k.a. Salvador Correia…
...Deixando para tras os entao novos tempos de miscigenacao generica num liceu ja’ ex-feminino em que a rigorosa hierarquia etaria e academica entre as alunas, antes estabelecida pelas diferentes cores do simbolo LGL nas batas brancas, entretanto caidas em desuso quais soutiens queimados nas ruas de Luanda, se comecava a desmoronar ate’ descambar na anarquia que hoje permite a certas fedelhas mal desmamadas e muito assanhadas, de quem nao me lembro ter alguma vez visto em nenhuma das nossas lutas, certas coragens, atrevimentos e descaramentos
Tais como, em vez de admitirem que chumbaram, apesar de todas as proteccoes e favoritismos das professoritas, ou talvez por isso mesmo, dizerem que “foram atrasadas um ano, para nivelar as coisas”…e que "nao se lembram de mais nada"… como convem as boas aprendizas de fiticera! Nivelar, they say! At what level?! Ainda nao viram que ate’ hoje continuam a tentar nivelar as coisas e continuam a desconseguir?!
A ele voltarei sempre como aluna… de Nzinga Mbandi!
Sobre ele, e sobre a PRO e sobre o SEDME (onde o representava), um dia escreverei de verdade … O MEU LICEU!








D. Guiomar de Lencastre…
Produziu tanto Meninas Guiomares de Lencastres, protegidas na Sala das Professoras… Como Mulheres desprotegidas na Cerca, que o fizeram Nzinga Mbandi... .
… E talvez por isso as clarividentes alunas, que sempre tinham visto o meu nome no Quadro de Honra desde 1972, me elegeram a dada altura sua representante no Conselho Directivo

E talvez tambem por isso fiz parte do grupo de 4 alun(a)os que, entre centenas, passaram aquele ano de recuperacao em que nos impuseram exames obrigatorios (eu que estava habituada a dispensar de exames…), depois de termos – nos os que davamos a pele, o sangue, o couro, o cabelo e as ‘sokas’ de madeira a fugir dos tiros da tropa ainda colonial a tentar dispersar as nossas manifestacoes, mais infindaveis horas das nossas jovens vidas em RGAs, pela PATRIA que julgavamos se estava a construir – “desconstruido” o Geronimo Wanga… e transitei para o complementar no Mutu Ya Kevela, esse outro Liceu, a.k.a. Salvador Correia…
...Deixando para tras os entao novos tempos de miscigenacao generica num liceu ja’ ex-feminino em que a rigorosa hierarquia etaria e academica entre as alunas, antes estabelecida pelas diferentes cores do simbolo LGL nas batas brancas, entretanto caidas em desuso quais soutiens queimados nas ruas de Luanda, se comecava a desmoronar ate’ descambar na anarquia que hoje permite a certas fedelhas mal desmamadas e muito assanhadas, de quem nao me lembro ter alguma vez visto em nenhuma das nossas lutas, certas coragens, atrevimentos e descaramentos
Tais como, em vez de admitirem que chumbaram, apesar de todas as proteccoes e favoritismos das professoritas, ou talvez por isso mesmo, dizerem que “foram atrasadas um ano, para nivelar as coisas”…e que "nao se lembram de mais nada"… como convem as boas aprendizas de fiticera! Nivelar, they say! At what level?! Ainda nao viram que ate’ hoje continuam a tentar nivelar as coisas e continuam a desconseguir?!
A ele voltarei sempre como aluna… de Nzinga Mbandi!
Sobre ele, e sobre a PRO e sobre o SEDME (onde o representava), um dia escreverei de verdade … O MEU LICEU!




3 comments:

VDV said...

Olha minha querida, uma coisa é certa, naqueles tempos era preciso seres mesmo muita burra pra te trapacearem nas notas por causa da cor da tua pele. Hoje é o que se vê, podes dar as maiores cartas nas melhores universidades do mundo, mas as novas professoritas do pós-dipandas delas, como bem costumas dizer, mesmo com os seus diplomas da universidade do Catambor, conseguem ter lata suficiente para te passarem “atestados de insignificância”… Motivo? Está-se mesmo a ver, não está?!

Koluki said...

Julgo que sim, VDV, julgo que sim...
;-)

AR said...

Correcção: VDV, desculpa lá mas onde dizes “muita burra” devias ter dito “burra que nem um rochedo” ou “aveugle que nem uma cegueta”, hi hi hi…
Mas não, agora a sério, eu estudei no Ngola Kiluange e confesso que sempre tive uma pontinha, mas pontinha só mesmo, de ciúme das do LGL. Mas não me dei mal, até porque naquele tempos quando ia passear com o meu namorado “todo esticado” também houvia aqueles “larga o osso que não é teu, é da malta do liceu”!
Bom fim de semana e força aí mana Ana Koluki, porque continuas no QUADRO DE HONRA!