Thursday, 12 November 2009

Premio Nacional dos Direitos Humanos

O jornalista do Folha 8 Domingos da Cruz, o activista Luís Araújo e a ONG OMUNGA de Benguela, venceram a primeira edição do Prémio Nacional dos Direitos Humanos.

Presidido pelo político Marcolino Moco, o júri atribuiu o Prémio Nacional dos Direitos Humanos na categoria “Ricardo de Melo” a Domingos da Cruz pelo engajamento na abordagem de assuntos relacionados com os Direitos Humanos.

Já a Luis Araújo, que coordena a ONG SOS-Habitat, coube o galardão na categoria “Kimpa Vita”, pelo seu empenho na defesa dos desalojados e despojados dos seus haveres nas demolições em Luanda, ao passo que à ONG OMUNGA, sedeada em Benguela, coube o prémio na categoria “Organizações da Sociedade Civil” pela sua intervenção na defesa das crianças desamparadas na cidade do Lobito.


O prémio consta de um diploma e um valor monetário equivalente em Kwanzas a 5 mil dólares americanos. O Conselho de Coordenação dos Direitos Humanos em parceria com a Fundação Open Society instituíram o Prémio Nacional de Direitos Humanos da sociedade civil, enquanto distinção de mérito a ser atribuída anualmente a uma organização ou activista promotor e defensor dos Direitos Humanos, de nacionalidade angolana, que se destaque na defesa dos Direitos Humanos e Liberdades Fundamentais.

O Conselho de Coordenação dos Direitos Humanos (CCDH), plataforma das organizações angolanas que trabalham em prol dos Direitos Humanos e a Fundação Open SocietyAngola (FOS-A) realçam que o mesmo visa homenagear organizações e pessoas singulares cujo trabalho em prol da promoção, defesa e respeito pelos Direitos Humanos, seja merecedor de destaque e reconhecimento por toda a sociedade.

O Prémio aberto a todos os promotores, defensores dos Direitos Humanos nacionais, residentes e não residentes no país, cujas acções sejam dignas de reconhecimento, consistirá na atribuição de um diploma e de uma quantia no valor equivalente em Kwanzas a USD 5.000,00 (Cinco Mil Dólares Americanos).

Os prémios serão divididos em três categorias, designadamente «Beatriz Kimpa Vita», a ser atribuído a um activista que se tenha destacado na defesa dos Direitos Humanos, «Ricardo de Melo» a ser atribuído a um jornalista nacional que se tenha destacado na promoção dos Direitos Humanos, e o «Organização da Sociedade Civil», a ser atribuído a uma organização que se tenha destacado na área da promoção e defesa dos Direitos Humanos.


= Noticia daqui =

= Imagem daqui =
O jornalista do Folha 8 Domingos da Cruz, o activista Luís Araújo e a ONG OMUNGA de Benguela, venceram a primeira edição do Prémio Nacional dos Direitos Humanos.

Presidido pelo político Marcolino Moco, o júri atribuiu o Prémio Nacional dos Direitos Humanos na categoria “Ricardo de Melo” a Domingos da Cruz pelo engajamento na abordagem de assuntos relacionados com os Direitos Humanos.

Já a Luis Araújo, que coordena a ONG SOS-Habitat, coube o galardão na categoria “Kimpa Vita”, pelo seu empenho na defesa dos desalojados e despojados dos seus haveres nas demolições em Luanda, ao passo que à ONG OMUNGA, sedeada em Benguela, coube o prémio na categoria “Organizações da Sociedade Civil” pela sua intervenção na defesa das crianças desamparadas na cidade do Lobito.


O prémio consta de um diploma e um valor monetário equivalente em Kwanzas a 5 mil dólares americanos. O Conselho de Coordenação dos Direitos Humanos em parceria com a Fundação Open Society instituíram o Prémio Nacional de Direitos Humanos da sociedade civil, enquanto distinção de mérito a ser atribuída anualmente a uma organização ou activista promotor e defensor dos Direitos Humanos, de nacionalidade angolana, que se destaque na defesa dos Direitos Humanos e Liberdades Fundamentais.

O Conselho de Coordenação dos Direitos Humanos (CCDH), plataforma das organizações angolanas que trabalham em prol dos Direitos Humanos e a Fundação Open SocietyAngola (FOS-A) realçam que o mesmo visa homenagear organizações e pessoas singulares cujo trabalho em prol da promoção, defesa e respeito pelos Direitos Humanos, seja merecedor de destaque e reconhecimento por toda a sociedade.

O Prémio aberto a todos os promotores, defensores dos Direitos Humanos nacionais, residentes e não residentes no país, cujas acções sejam dignas de reconhecimento, consistirá na atribuição de um diploma e de uma quantia no valor equivalente em Kwanzas a USD 5.000,00 (Cinco Mil Dólares Americanos).

Os prémios serão divididos em três categorias, designadamente «Beatriz Kimpa Vita», a ser atribuído a um activista que se tenha destacado na defesa dos Direitos Humanos, «Ricardo de Melo» a ser atribuído a um jornalista nacional que se tenha destacado na promoção dos Direitos Humanos, e o «Organização da Sociedade Civil», a ser atribuído a uma organização que se tenha destacado na área da promoção e defesa dos Direitos Humanos.


= Noticia daqui =

= Imagem daqui =

2 comments:

PedroSPFC said...

Olá, realmente excepcional o blog.Apesar de não ser da sua área, queria saber como conseguiu dar esse desing a o seu blog.

Acesse o meu: www.newsofspfc.blogspot.com

Koluki said...

Ola', obrigada.
Esse design resulta da adaptacao de um template da WordPress para o Blogger.