Tuesday, 23 June 2009

SOBRE A GENESE DO MODERNO NACIONALISMO ANGOLANO

4 comments:

umBhalane said...

Nacionalistas, é o termo, a referência.

Sendo assim faltam rostos de grandes nacionalistas Angolanos, e já não deste mundo.

E dos mais representativos.

Ele há coisa que não entendo, ou por outra,

entendo muito bem.

Mas "assim" não deveria ser.

Espero bem que o conteúdo seja mais abrangente, e honesto.

Koluki said...

Assino por baixo.
A julgar pelas fotos, parece que nao se trata exactamente da "genese do nacionalismo moderno angolano", mas apenas da "genese de parte do MPLA"...

Kimangola said...

...primeiro que tudo um lomgo e grande abraço...

...fico sempre espantado com a facilidade com que se fala de génese e nacionalismo ( que descaramento!!!?)

o lirismo ( o verdadeiro) na sua mais pura essência.
haja paciência...

Anonymous said...

RELEMBRAR O NACIONALISTA, AFRICANO, UNIVERSALISTA E UM DOS FUNDADORES DO MPLA, Dr. HUGO JOSÉ AZANCOT DE MENEZES.
Aos 11de Maio de 2000 faleceu o Dr. Hugo José Azancot de Menezes com 71 anos e faria 83 aos 02-02.2012.
Foi um benfeitor da humanidade, progressista e justiceiro em todo o seu percurso e nunca optava pelas situações radicais e pugnava pela reposição de valores, igualdade e sempre em prol dos desfavorecidos.
Era efervescente para ideais progressistas para a qual sempre norteou o seu percurso de vida fundamentalmente política nacionalista Africana e universalista.
O seu sonho foi sempre a emancipação de África por valores de consenso nacional e progresso social que herdou e desenvolveu ao longo de décadas.
Envolveu -se sempre desde os primórdios do nacionalismo ao qual participou na criação e fundação de associações políticas e posteriormente na fundação de partidos como MPLA, CLSTP, PDG NAS FASES embrionárias das suas existências.
Nos países Africanos onde praticou as actividades políticas e exerceu medicina conseguiu galvanizar muito apoio dos respectivos nacionais e governantes desses países Africanos que se tornariam independentes não só pelo seu desempenho e criatividade relativamente ao MPLA mais por iniciativas locais.
Esta data nunca passara despercebida para os seus familiares e amigos e camaradas de lutas em todas latitudes tanto em África como Europa onde ele trilhou o caminho da libertação e dignidade do homem Africano apesar dos novos valores e preocupação dos tempos modernos.
E que a África não te esquecera.

ESCRITO AOS 02-02-2012 POR:
Ayres Guerra Azancot de Menezes