Friday, 13 April 2007

DOGGY LIFE


Men Are Easy

SINGLE BLACK FEMALE seeks male companionship, ethnicity unimportant.

I'm a very good looking girl who LOVES to play. I love long walks in the woods, riding in your pickup truck, hunting, camping, and fishing trips, cozy winter nights relaxing by the fire.
Candlelight dinners will have me eating out of your hand.
I'll be at your front door when you come home from work, wearing only what nature gave me. Kiss me, and I'm all yours. Call 591-1234 and ask for Daisy.

{Over 15,000 men found themselves talking to the local Humane Society about an 8 week old Labrador Retriever.
Men are so easy.}

(story & picture from here)

...

VIDA DE CÃO

Algures na Park Avenue
mister Bull-Dog, imponente
e severo,
trincou a nádega do menino.

Nao era esfomeado o dog,
nem assaltante o menino,
o Bull apenas se enganara
ao aflorar o cravo
que sua ama para ele plantara
ali no jardim

onde o menino, impávido
e sereno,
se aliviava da desinteria
causada pelo leite
que ao bull-dog roubara
quando decidira
levar vida de cão.

A.S., “S.O.S.”, Luanda - 1984


N.B.: Coloquei aqui este poema ja' depois de ter feito o post e de ele ter sido comentado, por ter a ver com o titulo do post e nao porque tenha qualquer intencao ou sentido humoristicos. Quanto muito ele pretendeu ser uma satira. O menino aqui referido e', na actual realidade social angolana, um "menino de rua". Na altura em que este poema foi escrito, o fenomeno "menino de rua" em Luanda ainda nao era a desgraca a que hoje se assiste, mas ja' existia... embora o tipo de assimetrias sociais e economicas que o provoca, associadas ou nao a guerra, fosse considerado por muitos em Angola, incluindo alguns que hoje se reclamam de "criticos do sistema", como uma caracteristica exclusiva dos "paises capitalistas ocidentais". Dai que tenha colocado a estoria "algures na Park Avenue" (que na altura ainda nao conhecia e que podera' ser a de NY ou qualquer outra, porque ha varias no mundo)... E com isto acho que iniciei a minha "carreira" como 'critica literaria' da minha propria poesia... ;-)

Men Are Easy

SINGLE BLACK FEMALE seeks male companionship, ethnicity unimportant.

I'm a very good looking girl who LOVES to play. I love long walks in the woods, riding in your pickup truck, hunting, camping, and fishing trips, cozy winter nights relaxing by the fire.
Candlelight dinners will have me eating out of your hand.
I'll be at your front door when you come home from work, wearing only what nature gave me. Kiss me, and I'm all yours. Call 591-1234 and ask for Daisy.

{Over 15,000 men found themselves talking to the local Humane Society about an 8 week old Labrador Retriever.
Men are so easy.}

(story & picture from here)

...

VIDA DE CÃO

Algures na Park Avenue
mister Bull-Dog, imponente
e severo,
trincou a nádega do menino.

Nao era esfomeado o dog,
nem assaltante o menino,
o Bull apenas se enganara
ao aflorar o cravo
que sua ama para ele plantara
ali no jardim

onde o menino, impávido
e sereno,
se aliviava da desinteria
causada pelo leite
que ao bull-dog roubara
quando decidira
levar vida de cão.

A.S., “S.O.S.”, Luanda - 1984


N.B.: Coloquei aqui este poema ja' depois de ter feito o post e de ele ter sido comentado, por ter a ver com o titulo do post e nao porque tenha qualquer intencao ou sentido humoristicos. Quanto muito ele pretendeu ser uma satira. O menino aqui referido e', na actual realidade social angolana, um "menino de rua". Na altura em que este poema foi escrito, o fenomeno "menino de rua" em Luanda ainda nao era a desgraca a que hoje se assiste, mas ja' existia... embora o tipo de assimetrias sociais e economicas que o provoca, associadas ou nao a guerra, fosse considerado por muitos em Angola, incluindo alguns que hoje se reclamam de "criticos do sistema", como uma caracteristica exclusiva dos "paises capitalistas ocidentais". Dai que tenha colocado a estoria "algures na Park Avenue" (que na altura ainda nao conhecia e que podera' ser a de NY ou qualquer outra, porque ha varias no mundo)... E com isto acho que iniciei a minha "carreira" como 'critica literaria' da minha propria poesia... ;-)

3 comments:

Bató said...

lol,lol,lol........God! It's real...mens are so easy...Mal acabam de ler "female" "mulher" vão por ali fora, ávidos de saber quais os gostos e carências da referida fêmea e ....pumba!! Toca a telefonar como convém a qualquer homem de MARTE).....que se preze!( os homens são mesmo de Marte com todo o impulso à flôr da pele).Desculpem-me os comentários AOS bloguistas passantes e usuários habituais...lol lol lol.....Adorei esta .....Beijão

Koluki said...

Eh, eh, eh, eh!!!

E' isso mesmo minha amiga...
Mas tambem nao me admirava nada que com a frustracao alguns dos tais 15,000 homens tivessem ido apedrejar a Humane Society...

Mas olhe que nem todas as mulheres sao de Venus... tambem as ha' de Marte!

Bató said...

Eh,eh,eh.......pois há.....e homens bem Venusianos.......mas o que telefonaram são tipicamente.....de Marte....