Friday, 6 April 2007

MAKA DE SANZALA!!!



N.B.: Considerando este assunto suficientemente esclarecido e esperando que a menina ACGM nunca mais se volte a esquecer das suas proprias palavras, e.g. “de ti jamais falarei!”, seja de que forma, sob que "nome", a que "pretexto", a que proposito, ou em que sitio for, voltarei a restringir o acesso a este blog a partir de amanha, 09/04/07, as 18H00.

Os meus agradecimentos a todo/as que, muito sensivelmente, preferiram nao fazer os seus comentarios aqui e me manifestaram suas solidariedades, pontos de vista e sugestoes por outras vias.

As minhas desculpas aqueles cujos comentarios decidi nao publicar. Fi-lo, nao porque contivessem algo que me fosse pessoalmente desfavoravel ou ofensivo, mas tao so’ por, ou conterem informacoes e nomes que prefiro nao envolver nesta questao, ou por conterem um tom demasiado exaltado que apenas iria contribuir para agravar uma situacao ja’ de si demasiado grave. De qualquer modo, o meu obrigada a todos!




Acabo de ver o meu nome citado no blog da Ana Clara Guerra Marques, auto-denominada 'Phwo', no espaco de comentarios a um post sobre o ultimo livro da Paula Tavares.

Entendamo-nos:

1. A primeira vez que tropecei naquele blog foi ha’ pouco mais de 3/4 meses, depois de ter criado o meu proprio blog e de, pela primeira vez, comecar a fazer digressoes pela blogosfera. Antes disso, nao tinha tido qualquer contacto com a blogosfera e os unicos blogs em que acidentalmente tinha antes entrado, ambos durante a segunda metade do ano passado, eram o Malambas e o Kitanda.

Serve isto para dizer que, ao contrario do que a menina Clara "pensa", eu nao sou quem ela "pensa"… isto e’, um ou outro dos varios Anonimos que, pelo que pude verificar nos arquivos do blog dela, ja’ ha’ muito tempo lhe venhem dizendo coisas sobre as quais ela sistematicamente exerce censura... Porque sera'???

2. A minha primeira intervencao naquele blog (e isto foi numa altura em que ela o tinha aberto a comentarios sem censura previa), como ‘Vulto’ (que usei por referencia ao termo vulturismo cultural – pratica da qual ela e’ o expoente maximo em Angola e que foi o tema dos meus dois primeiros comentarios), foi para lhe colocar algumas questoes legitimas a proposito de um post dela sobre um grupo de danca de mulheres do Lwena. Fi-lo de boa fe’ e respeitosamente, ainda imbuida do espirito aberto que caracteriza os espacos de debate intelectual a que estou habituada… Vejam-se, por exemplo, os debates em que tenho participado nos blogs do Africanpath...

Acontece, porem, que a menina imediatamente apagou os meus comentarios, accionou a "moderacao de comentarios" e, sem ter minimamente tentado responder as questoes que lhe coloquei, de pronto iniciou, numa infame e implacavel campanha de denegrimento sem qualquer precedente na minha vida, uma torrente de insultos pessoais contra mim, dizendo, entre outras coisas, saber muito bem quem eu era e que eu “nao era nada dificil de identificar”… Portanto, todos os insultos e agressoes pessoais que desde entao ela tem feito no seu e noutros blogs, directa ou indirectamente, aberta ou veladamente (como Phwo, Diamante, Lucia Matos (?), Margarida Fortes (?), Carlos Fonseca (?)... entre varios outros "pseudonimos"...), dirigidos a minha pessoa, tem-nos feito em plena consciencia de quem o “Vulto” era ... alias, ela confirmou-o a certa altura, quando se viu completamente abandonada pelos seus apoiantes habituais e a ter que recorrer a si propria com outros pseudonimos, para tentar justificar toda a sua agressidade e odio contra mim...

Respondi-lhe, num dos varios (mas nao tantos quanto ela quer fazer supor aos seus incautos leitores e certamente sem quaisquer insultos pessoais ou linguagem "grosseira" como ela hoje diz...) comentarios que ela nao publicou, que nao me preocupava absolutamente nada o facto de ela saber ou nao quem eu era, porque me dispunha a debater as questoes que eu tinha levantado em qualquer plataforma publica e que, ao contrario do que ela imediatamente assumiu e brandiu a saciedade desde entao, eu so’ nao me iria "identificar" no blog dela para evitar ter que pessoalizar as questoes e dar ao vexame que ela engendrou com base nos meus primeiros comentarios a dimensao de “escandalo” ou “maka de sanzala” que obviamente assumiria se eu me identificasse com o meu nome proprio ... isto, assumindo a hipotese patetica de que o nome proprio dela e' "Phwo"... alias, tenho para mim que o nome proprio dela e' e sempre foi Arrogancia Ignorante!

E devo dizer, ja' agora, que me esforcei por escrever os tais comentarios com acentos, nao por qualquer tentativa de dissimulacao, mas apenas e precisamente pelas razoes que acabo de referir. De resto, ha uma opcao nos blogs (que ela nao usa) que e’ a de nao se aceitar comentarios “anonimos”, ou ate', in extremis, nao se aceitarem comentarios de todo ou, como o fiz nos ultimos dias, restringir-se o acesso ao blog apenas a um grupo seleccionado de pessoas... e ha’ tambem a opcao por parte dos visitantes de se identificarem ou nao como anonimos, ou com os nomes que bem entenderem… portanto, ainda estou para perceber de onde e’ que lhe saiu a "conviccao inabalavel" que eu nao me “identifiquei” por “cobardia”...

... Ou que o que ela fez agora ao citar o meu nome constitui uma "denuncia"! Denuncia de que, posso saber? Das minhas opinioes e ideias? Que de resto nunca escondi de ninguem e que ate' fiz publicar em paginas impressas, muito antes da blogosfera sequer existir (como, por exemplo NESTE artigo datado de e publicado em 2002)?! Tal como nunca pretendi esconder o meu nome ou a minha cara, tanto neste blog como noutros espacos... E quem e' que ela pensa que, dentre os habituais frequentadores do blog dela e do meu, ainda nao tinha feito as obvias interligacoes sobre quem e o que estava em causa nesta saga?! Nao e' esse raciocinio tipico da mentalidade de "bofia stalinista" que, como tambem tive oportunidade de lhe dizer num dos comentarios que ela nao publicou, tao bem a caracteriza?! Quem e' que, e porque, se considera assim tao "intocavel" e acima do comum dos mortais que nao possa ser objecto de uma critica ou simples reparo, ou sequer que alguem "de fora" se lhe dirija? Nao sera' esta uma das manifestacoes mais evidentes da completa falta de nocao do ridiculo com que se tem notabilizado?!

3. Nao pretendo neste momento, a menos que ela a isso me obrigue no seguimento deste seu ultimo e insolito (inominavel?) ataque, recapitular aqui todos os episodios desta estorieta a que ela, no que e' apenas mais uma demonstracao do seu infinito auto-convencimento, chama uma “obsessao” da minha parte... so' me da' mesmo vontade de rir... como se nao fosse mais do que obvio, quanto mais nao seja a contar pelo numero de posts que ela fez usando os meus comentarios, ou motivados por eles, ou ainda "inspirados" por posts meus aqui no meu blog, ou ate' apenas movida pelo seu caracteristico abuso e atrevimento, como um em que me tenta "dar licoes" sobre o que fazer em Londres... quem e' que esta' obcecada e com uma dor de cotovelo que ate' doi a quem nao a tem, porque nao e' sequer possivel comparar a qualidade, a quantidade e a diversidade do conteudo sobre a cultura, a arte, a literatura, a musica, a gastronomia, a historia e a actualidade politica, social e economica angolanas e nao so' entre este e o blog dela...

Mas o que e’ mais do que evidente e’ que, completamente ao contrario do que ela diz, eu e’ que, por ter tido a “ousadia”, ou melhor, para usar a palavra dela, o "atrevimento", de me dirigir a ela (e diga-se que inicialmente ate' em termos favoraveis) num espaco aberto como a blogosfera fui vitima de toda a especie de insultos e ataques quer a minha pessoa, quer a minha obra como poeta, economista, ensaista e cronista, quer ao meu blog… Fe-lo persistentemente ao longo dos ultimos meses, inclusive usando comentarios meus que ela tinha antes apagado como temas para posts (portanto, a 'macaca' que me fez limitar o acesso a este blog nos ultimos dias nao foi a primeira a usar esse expediente... coincidencias?).

Essencialmente, ao que ela me submeteu foi a uma continua sessao de tortura e espancamento publicos em que tanto ela como os seus "amigos" no blog dela se dedicaram a saciedade a apedrejar-me e a cuspir-me para cima enquanto ela me tinha amarrada a um poste, sem qualquer possiblidade de defesa porque so’ publicava dos meus comentarios aqueles que melhor pudesse manipular para servir os seus mais do que sordidos objectivos. Nao teve, no entanto, porque nao lhe dei esse privilegio, qualquer resposta equivalente aqui no meu blog... ate' agora!

4. Lamento que ela tenha finalmente conseguido o que desde o inicio pretendia: fazer-me chocar com a Paula Tavares, sobre quem nao direi, pelo menos por enquanto, mais nada para alem do que ja’ disse aqui ha’ umas semanas num outro blog e tambem aqui no meu proprio blog. O que me revolta profundamente e’ que uma professorita de danca, possuidora de uma arrogancia sem limites e de um racismo muito mal dissimulado por tras da mascara da “Phwo” (... tenho muito a dizer, por exemplo, das suas praticas de “seleccao” e das suas teorias indefensavelmente racistas, incultas e ignorantes sobre "o que e' a verdadeira danca e quem e' que e' realmente capaz de dancar" na Academia de Danca de Luanda - e nao eram certamente tecnicas de danca Tchokwe que ela la' ensinava, ou as filhas das mamas do Lwena que ela la' admitia como suas alunas - antes de descobrir que se podia “dar de Phwo” e se pretender mais angolana do que a propria Angolanidade e, certamente, mais angolana do que eu, que ela faz muita questao de dizer que “estou fora” enquanto ela "esta dentro"… Alias ha' indicios suficientes no blog dela de que ela nem sequer tenta dissimular o seu racismo, pelo que as vezes me pergunto em que ponto da linha entre a arrogancia e a ignorancia ela efectivamente se situa... bastante elucidativo e', so' para citar um exemplo, a serie de posts que ela fez sobre a Rainha Nzinga...), se sinta no direito e se de ao desplante de confabular estorias sobre as minhas motivacoes e “inquietacoes” e com base nelas criar uma situacao destas entre mim e alguem por quem sempre tive o maior respeito e amizade, apesar da distancia que nos separa ha’ muitos anos!

Por isso a unica coisa que aqui vou repetir e’ que tenho muita pena que a Paula Tavares esteja completamente entregue a bicharada representada por essa menina e por ela a ser abusivamente usada como arma de arremesso contra mim sem qualquer pudor ou consideracoes eticas e que tanto o seu como o meu nome tenham sido desta forma arrastados na lama por uma fedelha atrevida, pedante, petulante e arrogante ate' dizer basta (!), irresponsavel, intriguista, racista, invejosa, ciumenta, imatura, ignorante, inculta, ordinaria, complexada, pretensiosa, presumida, intelectualmente desonesta, incapaz de conter os seus instintos mais baixos e mesquinhos e simplesmente de mau caracter, nenhuma educacao e menos ainda formacao, que esta’ absolutamente convencida de que e’ “o expoente maximo da cultura angolana”…

Fiz o comentario que ela hoje publicou (Porque o tera’ feito? E porque tera' decidido "identificar-me", particularmente depois de ter proferido, logo no inicio desta saga, uma das suas celebres frases a mim dirigidas: "de ti jamais falarei!...". Nao tera' sido por pensar, muito cobardemente diga-se de passagem, que poderia agora reiniciar as suas sessoes de espancamento sobre o meu nome com total impunidade por saber que eu tinha o meu blog com o acesso restricto?), e mantenho tudo o que nele disse (e para que disso nao restem duvidas coloco-o aqui em anexo), pela simples razao de que com base no que se tem passado e em tudo quanto ela tem dito nos ultimos meses, aquele post nao se destinava a homenagear a Paula Tavares, ou a honrar o seu livro e a sua obra em geral: aquele post, tal como o anterior em que ela fala pela primeira vez desse livro, esta cheio de fel e odio e veneno de escorpiao, nao so’ contra mim, mas tambem contra TODAS AS POETAS ANGOLANAS!

E isso apenas porque como a cabeca dela so funciona na base da inveja, do despeito, do ressaibo, do racismo, da hipocrisia, da mesquinhez e do auto-convencimento, pensa que a cabeca de toda a gente funciona da mesma maneira... E pior do que isso, com o particular poema que ela seleccionou, pretende apenas, oportunistica e descaradamente colar-se, como “Phwo”, a obra da Paula Tavares (que ela acintosamente faz muita questao de pre-qualificar como "nossa"… nossa de quem?...).

E’ isto alguem que mereca um “Premio Nacional da Cultura Angolana”?! E ainda por cima a frente e por cima (!) de verdadeiros vultos legitimamente representativos da cultura angolana como, so' para citar este nome, esse Marito que aqui podemos ouvir no 'Muxima' dos Kiezos e que anda para ali aos caidos, ao passo que ela, enquanto responsavel do Ministerio da Cultura de Angola fala mal do Estado Angolano e, com a maior das vacuidades deste mundo, se diz "contra" um sistema que a produziu e que ela reproduz e de que faz parte ate' ao tutano (e e', alias, apenas isso que lhe permite a basofia de proclamar que "estou realmente dentro"!), ao mesmo tempo que se pavoneia pelo mundo como "educadora cultural angolana"???!

5. Estou disposta a debater civilizada, culta e inteligentemente, com quem estiver interessado, aqui ou em qualquer outra plataforma (que nao obviamente o blog da menininha), as questoes substantivas relativas a poesia, a arte e a cultura angolana em geral, que me moveram a dirigir-me inicialmente a professorita na maior das boas fes, mas que ela apenas soube transformar na pouca vergonha que culminou neste post, mas que se pode ‘cronicar’ atraves dos posts e comentarios no blog dela e das directas e indirectas que foi disseminando nos ultimos tempos pela blogosfera, nao para confrontar ou “derrotar” as minhas ideias mas apenas para “me aniquilar” como pessoa e como escritora! Porque sera', pergunto-me?!

In conclusion, Ana Clara Guerra Marques, a.k.a. "Phwo", just: WHO DO YOU THINK YOU ARE???!



N.B.: Considerando este assunto suficientemente esclarecido e esperando que a menina ACGM nunca mais se volte a esquecer das suas proprias palavras, e.g. “de ti jamais falarei!”, seja de que forma, sob que "nome", a que "pretexto", a que proposito, ou em que sitio for, voltarei a restringir o acesso a este blog a partir de amanha, 09/04/07, as 18H00.

Os meus agradecimentos a todo/as que, muito sensivelmente, preferiram nao fazer os seus comentarios aqui e me manifestaram suas solidariedades, pontos de vista e sugestoes por outras vias.

As minhas desculpas aqueles cujos comentarios decidi nao publicar. Fi-lo, nao porque contivessem algo que me fosse pessoalmente desfavoravel ou ofensivo, mas tao so’ por, ou conterem informacoes e nomes que prefiro nao envolver nesta questao, ou por conterem um tom demasiado exaltado que apenas iria contribuir para agravar uma situacao ja’ de si demasiado grave. De qualquer modo, o meu obrigada a todos!




Acabo de ver o meu nome citado no blog da Ana Clara Guerra Marques, auto-denominada 'Phwo', no espaco de comentarios a um post sobre o ultimo livro da Paula Tavares.

Entendamo-nos:

1. A primeira vez que tropecei naquele blog foi ha’ pouco mais de 3/4 meses, depois de ter criado o meu proprio blog e de, pela primeira vez, comecar a fazer digressoes pela blogosfera. Antes disso, nao tinha tido qualquer contacto com a blogosfera e os unicos blogs em que acidentalmente tinha antes entrado, ambos durante a segunda metade do ano passado, eram o Malambas e o Kitanda.

Serve isto para dizer que, ao contrario do que a menina Clara "pensa", eu nao sou quem ela "pensa"… isto e’, um ou outro dos varios Anonimos que, pelo que pude verificar nos arquivos do blog dela, ja’ ha’ muito tempo lhe venhem dizendo coisas sobre as quais ela sistematicamente exerce censura... Porque sera'???

2. A minha primeira intervencao naquele blog (e isto foi numa altura em que ela o tinha aberto a comentarios sem censura previa), como ‘Vulto’ (que usei por referencia ao termo vulturismo cultural – pratica da qual ela e’ o expoente maximo em Angola e que foi o tema dos meus dois primeiros comentarios), foi para lhe colocar algumas questoes legitimas a proposito de um post dela sobre um grupo de danca de mulheres do Lwena. Fi-lo de boa fe’ e respeitosamente, ainda imbuida do espirito aberto que caracteriza os espacos de debate intelectual a que estou habituada… Vejam-se, por exemplo, os debates em que tenho participado nos blogs do Africanpath...

Acontece, porem, que a menina imediatamente apagou os meus comentarios, accionou a "moderacao de comentarios" e, sem ter minimamente tentado responder as questoes que lhe coloquei, de pronto iniciou, numa infame e implacavel campanha de denegrimento sem qualquer precedente na minha vida, uma torrente de insultos pessoais contra mim, dizendo, entre outras coisas, saber muito bem quem eu era e que eu “nao era nada dificil de identificar”… Portanto, todos os insultos e agressoes pessoais que desde entao ela tem feito no seu e noutros blogs, directa ou indirectamente, aberta ou veladamente (como Phwo, Diamante, Lucia Matos (?), Margarida Fortes (?), Carlos Fonseca (?)... entre varios outros "pseudonimos"...), dirigidos a minha pessoa, tem-nos feito em plena consciencia de quem o “Vulto” era ... alias, ela confirmou-o a certa altura, quando se viu completamente abandonada pelos seus apoiantes habituais e a ter que recorrer a si propria com outros pseudonimos, para tentar justificar toda a sua agressidade e odio contra mim...

Respondi-lhe, num dos varios (mas nao tantos quanto ela quer fazer supor aos seus incautos leitores e certamente sem quaisquer insultos pessoais ou linguagem "grosseira" como ela hoje diz...) comentarios que ela nao publicou, que nao me preocupava absolutamente nada o facto de ela saber ou nao quem eu era, porque me dispunha a debater as questoes que eu tinha levantado em qualquer plataforma publica e que, ao contrario do que ela imediatamente assumiu e brandiu a saciedade desde entao, eu so’ nao me iria "identificar" no blog dela para evitar ter que pessoalizar as questoes e dar ao vexame que ela engendrou com base nos meus primeiros comentarios a dimensao de “escandalo” ou “maka de sanzala” que obviamente assumiria se eu me identificasse com o meu nome proprio ... isto, assumindo a hipotese patetica de que o nome proprio dela e' "Phwo"... alias, tenho para mim que o nome proprio dela e' e sempre foi Arrogancia Ignorante!

E devo dizer, ja' agora, que me esforcei por escrever os tais comentarios com acentos, nao por qualquer tentativa de dissimulacao, mas apenas e precisamente pelas razoes que acabo de referir. De resto, ha uma opcao nos blogs (que ela nao usa) que e’ a de nao se aceitar comentarios “anonimos”, ou ate', in extremis, nao se aceitarem comentarios de todo ou, como o fiz nos ultimos dias, restringir-se o acesso ao blog apenas a um grupo seleccionado de pessoas... e ha’ tambem a opcao por parte dos visitantes de se identificarem ou nao como anonimos, ou com os nomes que bem entenderem… portanto, ainda estou para perceber de onde e’ que lhe saiu a "conviccao inabalavel" que eu nao me “identifiquei” por “cobardia”...

... Ou que o que ela fez agora ao citar o meu nome constitui uma "denuncia"! Denuncia de que, posso saber? Das minhas opinioes e ideias? Que de resto nunca escondi de ninguem e que ate' fiz publicar em paginas impressas, muito antes da blogosfera sequer existir (como, por exemplo NESTE artigo datado de e publicado em 2002)?! Tal como nunca pretendi esconder o meu nome ou a minha cara, tanto neste blog como noutros espacos... E quem e' que ela pensa que, dentre os habituais frequentadores do blog dela e do meu, ainda nao tinha feito as obvias interligacoes sobre quem e o que estava em causa nesta saga?! Nao e' esse raciocinio tipico da mentalidade de "bofia stalinista" que, como tambem tive oportunidade de lhe dizer num dos comentarios que ela nao publicou, tao bem a caracteriza?! Quem e' que, e porque, se considera assim tao "intocavel" e acima do comum dos mortais que nao possa ser objecto de uma critica ou simples reparo, ou sequer que alguem "de fora" se lhe dirija? Nao sera' esta uma das manifestacoes mais evidentes da completa falta de nocao do ridiculo com que se tem notabilizado?!

3. Nao pretendo neste momento, a menos que ela a isso me obrigue no seguimento deste seu ultimo e insolito (inominavel?) ataque, recapitular aqui todos os episodios desta estorieta a que ela, no que e' apenas mais uma demonstracao do seu infinito auto-convencimento, chama uma “obsessao” da minha parte... so' me da' mesmo vontade de rir... como se nao fosse mais do que obvio, quanto mais nao seja a contar pelo numero de posts que ela fez usando os meus comentarios, ou motivados por eles, ou ainda "inspirados" por posts meus aqui no meu blog, ou ate' apenas movida pelo seu caracteristico abuso e atrevimento, como um em que me tenta "dar licoes" sobre o que fazer em Londres... quem e' que esta' obcecada e com uma dor de cotovelo que ate' doi a quem nao a tem, porque nao e' sequer possivel comparar a qualidade, a quantidade e a diversidade do conteudo sobre a cultura, a arte, a literatura, a musica, a gastronomia, a historia e a actualidade politica, social e economica angolanas e nao so' entre este e o blog dela...

Mas o que e’ mais do que evidente e’ que, completamente ao contrario do que ela diz, eu e’ que, por ter tido a “ousadia”, ou melhor, para usar a palavra dela, o "atrevimento", de me dirigir a ela (e diga-se que inicialmente ate' em termos favoraveis) num espaco aberto como a blogosfera fui vitima de toda a especie de insultos e ataques quer a minha pessoa, quer a minha obra como poeta, economista, ensaista e cronista, quer ao meu blog… Fe-lo persistentemente ao longo dos ultimos meses, inclusive usando comentarios meus que ela tinha antes apagado como temas para posts (portanto, a 'macaca' que me fez limitar o acesso a este blog nos ultimos dias nao foi a primeira a usar esse expediente... coincidencias?).

Essencialmente, ao que ela me submeteu foi a uma continua sessao de tortura e espancamento publicos em que tanto ela como os seus "amigos" no blog dela se dedicaram a saciedade a apedrejar-me e a cuspir-me para cima enquanto ela me tinha amarrada a um poste, sem qualquer possiblidade de defesa porque so’ publicava dos meus comentarios aqueles que melhor pudesse manipular para servir os seus mais do que sordidos objectivos. Nao teve, no entanto, porque nao lhe dei esse privilegio, qualquer resposta equivalente aqui no meu blog... ate' agora!

4. Lamento que ela tenha finalmente conseguido o que desde o inicio pretendia: fazer-me chocar com a Paula Tavares, sobre quem nao direi, pelo menos por enquanto, mais nada para alem do que ja’ disse aqui ha’ umas semanas num outro blog e tambem aqui no meu proprio blog. O que me revolta profundamente e’ que uma professorita de danca, possuidora de uma arrogancia sem limites e de um racismo muito mal dissimulado por tras da mascara da “Phwo” (... tenho muito a dizer, por exemplo, das suas praticas de “seleccao” e das suas teorias indefensavelmente racistas, incultas e ignorantes sobre "o que e' a verdadeira danca e quem e' que e' realmente capaz de dancar" na Academia de Danca de Luanda - e nao eram certamente tecnicas de danca Tchokwe que ela la' ensinava, ou as filhas das mamas do Lwena que ela la' admitia como suas alunas - antes de descobrir que se podia “dar de Phwo” e se pretender mais angolana do que a propria Angolanidade e, certamente, mais angolana do que eu, que ela faz muita questao de dizer que “estou fora” enquanto ela "esta dentro"… Alias ha' indicios suficientes no blog dela de que ela nem sequer tenta dissimular o seu racismo, pelo que as vezes me pergunto em que ponto da linha entre a arrogancia e a ignorancia ela efectivamente se situa... bastante elucidativo e', so' para citar um exemplo, a serie de posts que ela fez sobre a Rainha Nzinga...), se sinta no direito e se de ao desplante de confabular estorias sobre as minhas motivacoes e “inquietacoes” e com base nelas criar uma situacao destas entre mim e alguem por quem sempre tive o maior respeito e amizade, apesar da distancia que nos separa ha’ muitos anos!

Por isso a unica coisa que aqui vou repetir e’ que tenho muita pena que a Paula Tavares esteja completamente entregue a bicharada representada por essa menina e por ela a ser abusivamente usada como arma de arremesso contra mim sem qualquer pudor ou consideracoes eticas e que tanto o seu como o meu nome tenham sido desta forma arrastados na lama por uma fedelha atrevida, pedante, petulante e arrogante ate' dizer basta (!), irresponsavel, intriguista, racista, invejosa, ciumenta, imatura, ignorante, inculta, ordinaria, complexada, pretensiosa, presumida, intelectualmente desonesta, incapaz de conter os seus instintos mais baixos e mesquinhos e simplesmente de mau caracter, nenhuma educacao e menos ainda formacao, que esta’ absolutamente convencida de que e’ “o expoente maximo da cultura angolana”…

Fiz o comentario que ela hoje publicou (Porque o tera’ feito? E porque tera' decidido "identificar-me", particularmente depois de ter proferido, logo no inicio desta saga, uma das suas celebres frases a mim dirigidas: "de ti jamais falarei!...". Nao tera' sido por pensar, muito cobardemente diga-se de passagem, que poderia agora reiniciar as suas sessoes de espancamento sobre o meu nome com total impunidade por saber que eu tinha o meu blog com o acesso restricto?), e mantenho tudo o que nele disse (e para que disso nao restem duvidas coloco-o aqui em anexo), pela simples razao de que com base no que se tem passado e em tudo quanto ela tem dito nos ultimos meses, aquele post nao se destinava a homenagear a Paula Tavares, ou a honrar o seu livro e a sua obra em geral: aquele post, tal como o anterior em que ela fala pela primeira vez desse livro, esta cheio de fel e odio e veneno de escorpiao, nao so’ contra mim, mas tambem contra TODAS AS POETAS ANGOLANAS!

E isso apenas porque como a cabeca dela so funciona na base da inveja, do despeito, do ressaibo, do racismo, da hipocrisia, da mesquinhez e do auto-convencimento, pensa que a cabeca de toda a gente funciona da mesma maneira... E pior do que isso, com o particular poema que ela seleccionou, pretende apenas, oportunistica e descaradamente colar-se, como “Phwo”, a obra da Paula Tavares (que ela acintosamente faz muita questao de pre-qualificar como "nossa"… nossa de quem?...).

E’ isto alguem que mereca um “Premio Nacional da Cultura Angolana”?! E ainda por cima a frente e por cima (!) de verdadeiros vultos legitimamente representativos da cultura angolana como, so' para citar este nome, esse Marito que aqui podemos ouvir no 'Muxima' dos Kiezos e que anda para ali aos caidos, ao passo que ela, enquanto responsavel do Ministerio da Cultura de Angola fala mal do Estado Angolano e, com a maior das vacuidades deste mundo, se diz "contra" um sistema que a produziu e que ela reproduz e de que faz parte ate' ao tutano (e e', alias, apenas isso que lhe permite a basofia de proclamar que "estou realmente dentro"!), ao mesmo tempo que se pavoneia pelo mundo como "educadora cultural angolana"???!

5. Estou disposta a debater civilizada, culta e inteligentemente, com quem estiver interessado, aqui ou em qualquer outra plataforma (que nao obviamente o blog da menininha), as questoes substantivas relativas a poesia, a arte e a cultura angolana em geral, que me moveram a dirigir-me inicialmente a professorita na maior das boas fes, mas que ela apenas soube transformar na pouca vergonha que culminou neste post, mas que se pode ‘cronicar’ atraves dos posts e comentarios no blog dela e das directas e indirectas que foi disseminando nos ultimos tempos pela blogosfera, nao para confrontar ou “derrotar” as minhas ideias mas apenas para “me aniquilar” como pessoa e como escritora! Porque sera', pergunto-me?!

In conclusion, Ana Clara Guerra Marques, a.k.a. "Phwo", just: WHO DO YOU THINK YOU ARE???!

12 comments:

Bató said...

É sempre de lamentar que para a blogosfera se transportem os mesmos sentimentos doentios (inveja,insegurança,despeito,maldicência,etc.,etc.)que encontramos no dia-a-dia.
Quando não se gosta, come-se menos.....ou não se come.Põe-se na beira do prato, educadamente, sem palavras.Se eu não gostar de uma pessoa, simplesmente nem troco comentários, nem provoco.Respeito! Já ideias, sim.........gosto de me debater por elas,mas sempre com respeito.Mas, infelizmete as pessoas degladiam-se pelo protagonismo, pela ribalta........pelo pódium.O Sol nasce para todos e todos lhe sentimos o zénite.Será que é difícil entender isto? lhem para o céu todos os dias, cerca do meio dia e digam-me se alguém tem o zénite mais do que o outro.........que triste....isto aparta as pessoas destes espaços, priveligiados.lamentavelmente.
Um abraço a todos

Bató

m.silvera said...

Minha querida amiga,
Que bom encontrar o seu blogue aberto de novo! Quando há dias aqui cheguei nem queria acreditar que o tinha encerrado. Seria de facto uma grande perda para a blogosfera. Só agora percebi as razões que a motivaram a fazê-lo. O meu conselho continua a ser o mesmo e nessa luta continuo do seu lado.
No entanto, sobre esta questão da Phwo, o mesmo não se verifica. E, usando a franqueza que a Koluki sempre me permitiu, gostaria de lhe colocar umas questões:
1. Tendo a Koluki ido “ralhar” com a Phwo ao blogue dela, sem ela nunca a ter provocado primeiro, não poderia esperar que ela fosse ficar impávida e serena. Imagine a Koluki estar tranquila no seu canto e de repente sofrer um “ataque” sem perceber porquê. A verdade é que a sua primeira abordagem como Vulto não foi tão correcta como diz, já que não usou um tom de crítica construtiva, mas foi criticando de forma sarcástica.
2. Como a Koluki aqui o admite, usou pseudónimos e anonimato para agredir a Phwo e os seus leitores de forma desagradável. Porque não usou então o seu próprio nome ou nick correspondente ao seu blogue? Uma mulher inteligente como a Koluki tem a obrigação de ser directa. Não deve temer quando quer fazer algum reparo, mas de novo lhe digo que deve ser feito de boa fé e não de forma agressiva.
3. Ainda que tenha as suas razões para não gostar da Phwo, verifica-se uma grande diferença entre o tipo de linguagem que a Koluki utiliza e a forma educada como ela, apesar de tudo, reagiu às suas entradas no blogue dela. Chamar-lhe: “atrasada mental”, mentalidade de “bófia stalinista”, “fedelha atrevida, pedante, petulante e arrogante ate' dizer basta (!), irresponsavel, intriguista, racista, invejosa, ciumenta, imatura, ignorante, inculta, complexada, pretensiosa, presumida, intelectualmente desonesta, incapaz de conter os seus instintos mais baixos e mesquinhos e simplesmente de mau caracter e nenhuma educacao”, não é nada elegante e é até grave. E que mal tem ser professora de dança? É uma profissão tão digna como qualquer outra. Porque lhe chamou “professorita de dança” de forma tão depreciativa? Assim a Koluki passa uma imagem de superioridade que não a favorece em nada, podendo até manchar a sua dignidade.
A Phwo parece-me de grande educação e até bastante simples, pelo que não me parece nada merecedora desses adjectivos. Também acho que o prémio lhe foi bem atribuído e atrever-me-ia a concordar que foi tardio.
4. Eu conheço e respeito muito o trabalho da Ana Clara Marques e, embora não a conheça pessoalmente (sou amigo de pessoas que a conhecem bem e à sua família), não posso concordar que diga aqui todas essas enormidades sobre ela. Sobretudo quando, como ela diz, nem se conhecem pessoalmente.
Por exemplo, sei que ela sempre foi uma pessoa crítica, coisa que sempre assumiu nas suas coreografias. No filme que existe sobre o trabalho dela, isso é patente e muitas são os testemunhos de grandes personalidades da literatura e das artes angolanas que realçam a sua coragem e postura crítica dos seus trabalhos. E eles são pessoas responsáveis e conhecidas, pelo que não se atreveriam a dar a cara por uma pessoa que, de acordo com a Koluki tem todos e os piores defeitos possíveis. Nisto, repito, não a posso apoiar.
5. Não terá a minha Koluki (permita-me o carinho, dentro do maior respeito, com que a trato assim) ficado um bocadinho zangada por ela ter eleito a Paula Tavares como a melhor poeta angolana? Mas ela foi clara, e no seu post ela marca bem que é na opinião dela, o que deixa espaço parta outras opiniões. Eu, por exemplo, tendo entretanto lido alguns poemas seus, digo-lhe que gostei muitíssimo e gostaria muito que me autorizasse a publicá-los no meu modesto blogue.
6. Peço-lhe o favor de reconsiderar sobre os seus actos. Com toda a sinceridade e depois de ter andado a ler atentamente aqui e no blogue dela, não me parece nada que ela a quer aniquilar. Não fique assim a achar que é perseguida. O que parece é que ela nem está a dar tanta importância assim a este caso. E a Koluki deve fazer o mesmo. Viva a vida tranquilamente e não seja insegura.
Enquanto isso, e para a ver feliz, aceitei o seu desafio e decidi recomeçar o meu blogue. Vá lá pois deixei-lhe um presente.
7. Para o caso de voltar a fechar o seu blogue, como poderei fazer? Deixo o meu e-mail para me dar informações: acacias_mario@sapo.pt

Um beijinho grande com a amizade de sempre.

Koluki said...

Caro amigo Silvera,

Acabo de encontrar o seu comentario. Decidi publica-lo, apesar de saber que se alguem assim se manifestasse no blog da “menininha mimada” esse comentario nao seria publicado e, quanto muito, apareceria daqui a alguns dias na primeira pagina como post, acompanhado de uma serie de insultos por cima! Vou tentar seguir de perto a numeracao dos seus argumentos:

1. Eu nao fui “ralhar” com ninguem! Fui fazer perguntas e observacoes que reconheci a posteriori, pela reaccao que provocaram, eram extremamente incomodas para a mentalidade da menina “Phwo” e de alguns dos seus visitantes (e digo alguns, ou se calhar deveria dizer apenas algumas, ou ate’ apenas duas, porque mesmo dentre aqueles que nesse processo nao a “abandonaram” e que tenhem sido alguns dos seus mais assiduos comentaristas, houve quem me tivesse dado abertamente razao e isto sem ter em conta, obviamente, outros comentarios que nao terao sido publicados e outros ainda que, na sequencia do meu primeiro comentario, por nao lhe terem parecido ser suficientemente favoraveis, embora tivessem provindo de "amigos" dela, tambem foram apagados…). Acontece porem que, estando ha muitos anos afastada dessa mentalidade, tinha-me “esquecido” que ha’ vacas sagradas em quem nao se pode tocar no mundo em que eles vivem… ao contrario do que estou habituada noutros mundos ha muito tempo! Se a minha primeira abordagem como “Vulto” nao tera’ sido a mais correcta, bastaria apenas, ou apaga-la e nao voltar a publica-la, ou responder as questoes que lhe coloquei e notar que elas nao tinham sido colocadas “correctamente”. Nao me cabe fazer “criticas contrutivas” a quem esta’ tao convencida de si propria e das suas opinioes e praticas destructivas que so’ sao desconhecidas de quem nao tem vivido ou acompanhado a situacao e os debates politicos e culturais em Angola ha muitos anos e nao sabe da realidade por tras de algumas mascaras, particularmente da dela…

2. Terei usado “pseudonimos”, e expliquei-o honestamente porque o fiz, nao so' aqui neste post, mas tambem logo depois de ela ter transformado o tal comentario em post no blog dela, tendo-lhe deixado claras as razoes por que o fazia e elas resumem-se a que detesto escandalos e muito menos se envolvem nomes conhecidos! Mas se usei “pseudonimos”, por quaisquer que tenham sido as razoes, fi-lo tanto quanto ela usa o pseudonimo “Phwo” para alem de outros e nunca vi no blog dela, ou noutros blogs, ela identificar-se com o seu nome proprio ou mostrar a sua propria cara… Quanto a ser “directa”, foi precisamente por o ter sido da forma que o fui que ela nao conseguiu engolir a forma como o fiz… E eu ate’ sabia que ela sabia quem eu era, porque foi por ela conhecer, entre outros dos meus artigos, o artigo que anexei a este meu post e as minhas posicoes sobre o “vulturismo cultural” que ela imediatamente reagiu da forma como o fez! Portanto, ela nao estava tao “quietinha e inocente” como se quer fazer parecer e, tal como lhe disse num dos comentarios que ela nao publicou, “quem se ofendeu e’ porque a carapuca lhe serviu”!… Quanto a boa fe’ e a agressividade, pedir-lhe-ia que tentasse ser mais honesto na sua apreciacao e comparasse bem os termos com que ela se me dirigiu, quer como “Phwo”, quer com outros pseudonimos, ja’ para nao falar de o ter feito enquanto me tinha amarrada a um poste... Ja' para nao falar das manifestacoes claras de inveja no pseudonimo "Diamante" e no conteudo de alguns dos outros comentarios que ela fez sob outros pseudonimos na mesma altura, quando eu aqui estava numa de "All Blues" com um post que continha a fotografia de um diamante... Ja' para nao falar nas "recomendacoes" que ela me fez de "cometer um suicidio em grande estilo"... Ja' para nao falar na forma como ela disse que eu era uma "terrorista e incitadora de assassinios"... E muitas outras coisas, implicitas e explicitas que nao lembram sequer ao diabo!

3. Eu nao tenho quaisquer outras razoes para nao gostar da menina que nao aquelas que clara e abertamente deixei aqui expressas. Ela nao reagiu de forma educada coisa nenhuma. Apenas tentou faze-lo dissimuladamente sob o pseudonimo “Phwo”, mas usando a linguagem mais ofensiva e rasteira sob os outros pseudonimos que ela cobardemente vem usando! E nao se trata apenas da linguagem das respostas dela, quer as directas, quer as indirectas em varios outros posts que ela fez, alias praticamente todos os posts que ela fez desde que o "Vulto" lhe caiu em cima, mas tambem e sobretudo do veneno que ela comecou a disseminar desde entao (e ate’ antes disso, como pude depois verificar mais atentamente) noutros blogs contra mim… Que necessidade tinha ela disso?! Chamei-lhe tudo que o Silvera repete e voltarei a chamar-lhe sempre que tal for necessario e se calhar muito mais, com base em algumas informacoes que recebi em comentarios que aqui foram feitos sobre este post mas que preferi nao publicar, porque e’ isso mesmo que penso dela com base naquilo que ela demonstrou de varias formas e nao apenas neste contexto ser! Nao acho que haja qualquer mal, ou inferioridade, na profissao de professora de danca; o que acho e’ que professoras de danca nao tenhem nada que armar em “criticas literarias”, so’ isso!

4. Quanto a ela ser de “grande educacao e bastante simples” tudo depende do que se considera “educacao” e “simplicidade”, independentemente da familia de que se provem, ou talvez precisamente por isso... Mas seja qual for o conceito adoptado, nao foi isso que ela demonstrou na sua reaccao ao que ela chamou meu “atrevimento” e certamente nao foi isso que ela demonstrou ao longo dos anos como professora de danca na Academia de Musica/Danca de Luanda! Nao reconheco, particularmente por este ultimo facto, nenhum merito no premio que lhe foi atribuido, particularmente se se tiver em conta quantas outras personalidades muito mais meritorias poderiam ter tido pelo menos prioridade na atribuicao desse premio!

5. Nao tenho de facto o desprazer de a conhecer pessoalmente, e isto apenas no sentido de nunca ter falado com ela porque a verdade e’ que ja nos cruzamos antes. Quanto as apreciacoes do trabalho dela por “personalidades responsaveis e conhecidas”, sei muito bem em que bases e’ que, salvo raras excepcoes, tais "apreciacoes" sao feitas…

6. Terei eu ficado “um bocadinho zangada por ela ter eleito a Paula Tavares como a melhor poeta angolana”? Oh meu caro amigo, venhamos e convenhamos: quando eu me permitir ficar dependente da “Phwo” para validar o meu trabalho, particularmente se em comparacao com o da Paula Tavares, de quem ela se diz a melhor e mais intima amiga, entao posso mesmo arrumar as botas e dar-me por “aniquilada” por ela! Ela nao diz que se trata da “melhor poeta angolana” mas sim da “unica”! E so’ diz que e’ “na opiniao dela” depois de ter declarado logo no inicio que “e’ a unica”… E depois disso, faz juizos de valor que nao se referem implicita ou exclusivamente a poesia da Paula Tavares, mas sim que claramente e sem quaisquer rebucos se destinam, em termos comparativos, a desvalorizar e a degradar a poesia de todas as outras poetas angolanas que se limitam, diz ela, a “poemar” e que, como ela antes deixou no ar, nao andam tao frequentemente a publicar livros “de novo” com poemas “ainda quentes”! Ja’ li varias criticas literarias por alguns dos criticos mais conceituados, nao so’ no mundo lusofono como a nivel internacional, em que se fala do meu livro e do(s) da Paula Tavares e de outras poetas angolanas, e nem sempre necessariamente em termos “laudatorios” em relacao a minha poesia, mas nunca vi nada tao baixo e rasteiro como o que essa menina se permitiu fazer! Nao vou falar mais sobre o que penso da minha propria poesia para alem do que ja deixei expresso num post motivado precisamente por uma anterior investida dela desse tipo e que espero que o Silvera tenha lido. Senao, procure-o ai no Armario que o encontrara’, tinha-o retirado a uma certa altura mas voltei a posta-lo recentemente. O que apenas espero fique claro de uma vez por todas e’ que eu nao destinei a minha vida a ser “poeta”, muito menos "poetisa", nem o sistema de que ela se diz “contra” e de que faz parte e que nao tem feito outra coisa senao precisamente perseguir-me e "apagar-me" por causa das minhas ideias e por eu nao alinhar em certos circulos, ou ate’ simplesmente por causa da cor da minha pele ou da minha ascendencia etnica, a isso alguma vez me permitiu! A Paula Tavares e’ a melhor poeta angolana? Pois que o seja! Mas porque que isso tem que ser usado como arma de arremesso pessoal contra mim?! E nao tenho duvidas que seja particularmente contra mim pela simples razao de que fomos lancadas ao mesmo tempo e durante varios anos quase sempre referidas simultaneamente. E quem e’ que sabe se e que poesia eu venho escrevendo desde o meu primeiro livro, quando tinha quase metade da idade, da experiencia, dos apoios politicos e institucionais, quer em Angola quer em Portugal, e das possibilidades materiais da Paula Tavares?! E sobre isso mais nao digo por agora.

7. Lamento sinceramente, mas nao tenho absolutamente nada a reconsiderar sobre isso, meu caro amigo. Quanto muito, tenho e’ muitos sapos engolidos e outros tantos atravessados na minha garganta que apenas a minha educacao e consideracao por algumas pessoas que ainda respeito naquele meio me impedem de deitar ca para fora! Se aquela menina “nao estivesse a dar tanta importancia a esse caso” nao teria agido como detalhadamente relato aqui neste post, tendo eu ate’ deixado muitas coisas omitidas…

8. Finalmente, acha que uma pessoa “insegura” teria publicado um livro de poemas aos 25 anos? E garanto-lhe, caso ainda precise de o fazer, que a expressao “oficina segura”, entre outras, nao foi de minha autoria… Acha que se eu dependesse do que quem quer que seja pense da minha poesia, ou de qualquer outro dos “produtos da minha oficina”, incluindo este blog, poderia apresentar o ‘output’, que de resto apresentei apenas de forma parcial e sem qualquer referencia as condicoes em que foi produzido, que se encontra no post que acima lhe referi?! E sempre lhe digo que uma das razoes fundamentais porque decidi nao publicar mais nada, pelo menos no mundo lusofono, e’ porque nunca pretendi “competir” com a Paula Tavares nem com ninguem! Eu sou e sempre fui muito eu propria e a minha poesia reflecte isso e nao me disponho nunca mais a dar o prazer a ninguem que nunca soube, ou sequer alguma vez sera’ capaz de imaginar o que e’ e significa ser-se quem eu sou e o que fiz ou faco nas minhas circunstancias de vida, a sequer ler, quanto mais “criticar” a minha obra literaria, academica, ou qualquer outra nesse mundo de que me sinto cada vez mais afastada! O que aconteceu com o meu primeiro livro aconteceu por mero acaso: eu nao conhecia a Paula Tavares, nem ela me conhecia a mim e muito menos conheciamos a poesia uma da outra. Fomos apresentadas uma a outra na UEA, creio que pouco antes ou pouco depois de os nossos primeiros livros serem lancados. Porque razao haverei eu de ter que ver o que quer que seja que eu faca, ou nao faca, pelo menos no que toca a poesia, sempre medido em relacao ao que a Paula Tavares faz ou deixa de fazer?! E porque que, ja' agora nao comparam o volume e a diversidade das outras areas da minha actividade com a dela? Eu, como pessoa, como escritora, como profissional e, sobretudo, como mulher, nao me esgoto no livro “S.O.S”… e’ so’ isso que espero que certas pessoas metam na cabeca de uma vez por todas! Por acaso a percussora desta perseguicao e comparacoes mesquinhas ja’ nao esta’ entre nos, por isso se ela nunca foi capaz de o meter na cabeca ja’ nao ha’ nada a fazer… mas se esta sua herdeira e seguidora mais abusiva que se auto-intitula “Phwo” continuar a demonstrar-se incapaz de o meter na cabeca pode ter a certeza que eu nao continuarei muda e quieta como sempre estive ao longo de 21 anos perante tantos insultos e agressoes pessoais, algumas delas na minha propria cara! E’ que se eu ainda fosse capaz de ver alguma substancia nas tais “criticas” delas ainda va’ que nao va’, mas nao ha’ substancia nenhuma, so’ maldade, inveja, negatividade, destructividade e mesquinhez mesmo. Lamento!

9. Quanto a voltar a fechar o blog, eu nunca pretendi fecha-lo, apenas o restringi a alguns visitantes que estejam interessados a continuar a visita-lo e vou voltar a faze-lo daqui a algumas horas e quase certamente para sempre. Vou incluir o seu email address na lista dos visitantes. Obrigada.

Um abraco com a amizade de sempre!

Koluki said...

P.S.: Obrigada pela dedicatoria. Mas, por favor, nao me leve a mal e permita-me tambem a franqueza que sempre lhe tenho permitido, mas, sobretudo com os acontecimentos das ultimas semanas, estou tao abalada e traumatizada com essas imagens de "mulheres negras nuas" que prefiro nao voltar a ve-las por muito tempo e se calhar nunca mais... mesmo se escritas pelo Senghor.
De qualquer forma, nao posso deixar de lhe agradecer sinceramente a intencao e sinto-me gratificada por ter aceite a minha sugestao de reactivar o blog e espero que nao volte a desistir tao cedo.
So' mais uma palavrinha: no que diz quanto a viver a minha vida tranquilamente, garanto-lhe com a maior das honestidades que nunca vivi a minha vida tao tranquilamente como durante estes anos que vivi afastada do mundo lusofono. Voltei recentemente a reconectar com esse mundo e imediatamente as velhas "makas de sanzala" acrescentadas de outras por me ter metido nesta empresa de fazer um blog aberto, apenas me fizeram relembrar do porque que me sentia tao bem antes de fazer essa reconexao... Nao desistirei, no entanto, porque sei que ele tem sido significativo sobretudo para muitas pessoas em Angola que nao tenhem a possibilidade de criar blogs e ate' dificuldades de acederem a internet e e' tambem por isso que escrevo sobretudo em Portugues. Mas que nao o faco com tanta tranquilidade como gostaria, la' isso e' um facto.

O'Sanji said...

Cara koluki
Faria minhas as palavras da sua comentadora Bató: "Se eu não gostar de uma pessoa, simplesmente nem troco comentários, nem provoco. Respeito!".
Na minha modesta opinião, parece-me não ter sido esta a sua postura neste "imbroglio", que tomou proporções inusitadas.
De facto, não a conheço de lugar nenhum, nunca nos cruzámos pelos mesmos espaços, a não ser no blog A Matéria do Tempo, e mesmo aí não houve qualquer tipo de interacção.
Comecei a ler o seu blog, que acho bastante interessante, quando vi uma intervenção sua no citado blog do Denudado.
Não me move contra si seja o que for, e volto a repetir, não a conheço de lugar algum.
Obviamente que todos temos os nossos amigos. Eu, por exemplo, sou amiga da Ana C. G. M., que adoptou o nickname "Phwo", tal como a Ana Paula Santana adoptou o seu "Koluki". Eu própria uso o nome/nick "O'Sanji". Essa é uma das práticas mais frequentes da blogosfera. Não vejo qual o problema em cada um escolher seja que nome for para se apresentar num blog.
No comentário que fez no blog "Às vezes (des)organizo-me em palavras", a senhora atinge todos quantos comentam o referido blog, acusando a sua autora de utilizar várias personagens para se autopromover. Se não fosse um caso sério, seria tentada a dar uma gargalhada. E digo-lhe porquê. É que refere alguns nomes/nicks que de facto são pessoas que eu estimo muito e que não vejo na pele de "Phwo": por exemplo, o Diamante, autor do blog Ignotus, o Gavião/GED, autor do blog Noite Vertical; Fifer, autor do Tabanka do Huambo... Obviamente que não conheço muitos outros comentadores, como também não conheço a maioria das pessoas que comentam no meu próprio blog.
Por outro lado, a sua insistência em caracterizar pessoas, que comentam no blog da "Phwo" e da forma como o tem feito, não se coaduna com a imagem de intelectual que procura mostrar nos seus posts.
Mais uma coisa. Para que conste, gosto de alguns dos seus poemas, que entretanto consegui ir lendo. Gostaria até de os des-construir. Mas, nem com sua autorização me atreveria a fazê-lo. Não fosse cair-me em cima um post como este que me senti no direito de comentar. Não em relação à minha amiga "Phwo", nem em relação à obra da Ana Paula Tavares, que muito admiro, simplesmente porque acho que deveria ter um pouco mais de cuidado quando faz acusações infundadas.
Gostaria de lhe transmitir que, apesar de não ter gostado de ser tratada por si, da forma como o fez, comecei a ler o seu blog com algum interesse e também como o Sr. Silvera tenho pena que o torne inacessível aos seus leitores.
Obviamente que não lhe peço que me inclua na lista dos seus leitores, porque acredito que o não faça. Ou se o fizer, começo a acreditar que por trás de tantos rancores pode haver uma personalidade aberta como diz que o é.
Com os meus respeitosos cumprimentos

O'Sanji

Post scriptum - Se não levar a mal, gostaria de lhe dizer que (e acredito em si quando diz que o seu português começa a sofrer os danos de escrever muito em inglês) as formas verbais "venhem" e "tenhem" não estão correctas. Deverá escrever, sim, "vêm" e "têm". É que a senhora escreve bem e isso fica mal!

O'Sanji said...

Vai-me desculpar, mas esqueci-me de lhe dizer que não pretendo entrar em qualquer espécie de diálogo de surdos. O que quer dizer que seja o que for que faça, não voltarei a importuná-la.

Koluki said...

PS-2: Outra coisa que tenho que dizer aqui para terminar esta conversa, e’ que nao me impressionam absolutamente nada essas estorias dos “criticos do sistema”, mas que sempre viveram dentro dele e a custa dele e nunca o criticaram nas ocasioes mais problematicas da vida do pais desde a independencia… E e’ muito facil ser-se “critico” quando nao se tem nada a perder e ainda se e’ premiado por esse mesmo sistema…
Mas, mais importante do que isso, e’ que nao vejo realmente criticas ao sistema, mas apenas resmunguices contra “as novas elites” e os “novos ricos”, que poderao ser muito acertadas e justas, mas que em quase todos os casos em que tenho lido tais criticas, parece-me ser mais um caso de “despeito” das “velhas elites” e dos “velhos ricos” do que qualquer outra coisa mais profunda e que possa realmente “abalar” ou, no minimo, “inquietar” o sistema… Como por exemplo, nao vejo grande empenho desses tais "criticos" sobre as questoes mais fundas da corrupcao, ou das varias lutas da sociedade civil e das comunidades mais desfavorecidas... nao apenas com bla-bla-bla, mas com atitudes praticas.
E de resto, o que e’ o “sistema”? Sera’ apenas o governo, o presidente e o partido maioritario? Para mim o sistema e’ composto de sub-sistemas, dos quais o mais importante e’ e sempre foi naquele pais o dos intelectuais nas varias areas, alguns dos quais nao sao apenas, ou fundamentalmente, “criadores”, mas conselheiros do “sistema” ao mais alto nivel – e, no entanto, alguns destes tambem se reclamam de “criticos do sistema”! Para mim isso nao passa tudo de uma grande palhacada, que me desculpem.
A unica “substancia” que consigo descortinar nos discursos de alguns dos tais criticos, e’ que eles sentiam-se muito melhor sob o “sistema” do primeiro presidente, quer por razoes pessoais, quer ideologicas e nao se conformam com algumas das mudancas ocorridas sob o “sistema” do segundo presidente, exactamente pelas mesmas razoes. Portanto, ve-se frequentemente, por exemplo, que as “criticas” ao sistema de mercado sao feitas quase exclusivamente por saudosismo do tempo do socialismo e da “ditadura do proletariado” e nao propriamente ao proprio sistema de mercado em si… porque, sendo eles quem sao, podem sempre acomodar-se a qualquer sistema!

Koluki said...

Olhe O’Sanji,

Deixe-me comecar por dizer-lhe que preferiria que os amigos da “Phwo” tivessem pelo menos a contencao suficiente para a irem defender no blog dela, ou nos seus proprios blogs. Eu pelo menos nao fui aos blogs dos amigos dela para a atacar, tudo o que lhe disse disse-o no blog dela, ou aqui no meu. Portanto, nao me parece que lhes fique bem virem aqui falar-me no tom em que o faz. Na verdade, tanto o seu como o comentario do Silvera e’ que sao verdadeiros “ralhetes” e tentativas de “licoes de educacao” que, felizmente dispenso, particularmente se dadas dessa forma e neste contexto…

Na minha leitura do comentario da Bato’, tanto a frase que cita como todo o resto do comentario podem ser aplicados quer a mim, quer a “Phwo”, com a unica diferenca que nao sou eu que quero a “ribalta” ou a luz do sol so’ para mim: nao sou eu que me acho a “unica”, ou a “melhor”, ou seja la’ o que for que se pareca com isso…

Tambem nao a conheco de lugar nenhum e nao me lembro de ter visitado o seu blog, mas ja’ agora fa-lo-ei quando tiver oportunidade.

Agora, nem sequer me vou debrucar sobre tudo o que diz sobre os amigos da “Phwo” e os seus blogs, uma vez que o unico “nome” que citei em particular foi o tal “Diamante”, que nao me pareceu que tivesse qualquer blog, porque nao tinha la’ nenhum link e aquela foi a unica intervencao dele/a que vi naquele blog… de qualquer maneira, qualquer pessoa pode agora criar um blog e associar-lhe o nome que quiser… De resto nao entendo mesmo a sua mensagem porque, como disse ao Silvera, eu ate’ distingui dentre os comentaristas, pelo menos aqueles que participaram naquela discussao, quem tinha tido um ou outro comportamento. Nao me lembro de a ter atingido a si particularmente ate’ porque nao associei o seu nome, ou nick, aquela questao… ha muito que nao volto aquele post, nem penso la voltar seja para o que for, mas se se sentiu atingida, nao teve qualquer razao para isso, porque “as duas” a que me referi apelidam-se “Inominavel” e “Cagonja” - e espero que elas tambem nao venham aqui seja pelo que for, porque para ja’ nao publicarei os comentarios delas!

Quanto a caracterizacao dos visitantes do blog da “Phwo”, oh minha senhora, eu tratei-os a todos por “amigos” dela e nao os caracterizei individual ou pessoalmente (a excepcao dos 2 casos que acabo de citar por razoes obvias) nem por referencia aos seus blogs que ate’ desconheco. Se alguma caracterizacao fiz foi dos seus comentarios dirigidos ao “Vulto”… e devo dizer que tive aqui mesmo neste post comentarios equivalentes aqueles de amigos meus dirigidos a “Phwo”, mas preferi nao os publicar… E devo dizer tambem que eu “nao tento passar uma imagem de intelectual” a ninguem; qualquer que seja a imagem que eu passe, ela e’ e sera’ sempre feita pelos leitores, mas sempre lhe digo que um intelectual mede-se pelas suas ideias e nao primordialmente pela sua linguagem… embora da minha linguagem eu nao tenha nada que retirar ou de que me arrepender, particularmente se comparada com a linguagem que me foi dirigida no blog da sua intelectual amiga…

Agora, sobre essa estoria do meu nome, ou nick e de me ter ou nao identificado acho que ja’ disse tudo quanto tinha a dizer e apenas tenho a acrescentar que Koluki nao e’ um pseudonimo, nem nick, e’ tambem meu nome. Seja como for, so’ gostava de saber que diferenca tao fundamental isso faria na forma como ela reagiu se eu o usasse nos comentarios no blog dela? A resposta: nenhuma! Porque? Porque a questao substantiva nao era o nome que eu usei ou deixei de usar, mas sim a questao do “vulturismo cultural”! Tive alguma resposta para as perguntas que fiz sobre isso? Nao! Tive alguma resposta convincente de que as minhas referencias a pratica do vulturismo cultural pela “Phwo” eram infundadas? Nao! Portanto, sobre isso nao tenho mesmo mais nada a dizer.

Quanto ao seu interesse pela minha poesia, agradeco-lho. Ela esta’ publicada e dependendo dos usos que dela se fizer (certamente nao para animar blogs pornograficos…), cada um e’ livre de fazer o que quiser sem minha autorizacao previa, desde que o copyright seja respeitado. Portanto, nao precisa de por a questao nesse tom tao sardonico… O mesmo lhe digo quanto a sua inclusao ou nao na minha lista de visitantes…

Quanto ao meu “pretogues”, ha duas formas em que respondo a esse tipo de questoes: uma foi como respondi a amiga LisbonGirl no blog Luanda Azul aqui ha uns tempos, agradecendo-lhe sinceramente pelo reparo; outra e’ responder que “a minha patria nao e’ a lingua portuguesa”. Escolha a que preferir…Mas sempre lhe digo que nao tenho acentos (a nao ser quando posso usar um outro computador que nem sempre esta’ disponivel) e normalmente escrevo essas duas palavras com dois ‘ee’, mas as vezes nao estou para isso e escrevo dessa forma que julgo que tambem se entende… e tambem lhe digo que vi ha’ uns tempos um ‘profile’ da “Phwo” em Ingles e tambem la’ encontrei muita coisa que eu corrigiria… mas nunca faco esse tipo de reparos a ninguem a nao ser a menina/os de escola…

Obrigada por nao me voltar a importunar e como nao sou de rancores, muito menos de dialogos de surdos, nao lhe ficarei com nenhum!

Passe bem.

Koluki said...

Caro Silvera,

Retirei o seu ultimo comentario porque nas respostas que lhe dei anteriormente a si e a O'Sangi ja' estavamos mais do que conversados sobre as questoes a que se referiu.
Tem a opcao de ir repetir o seu comentario no blog da "Phwo" ou no seu.
Mas se quiser voltar a discutir o tema deste post comigo aqui no meu blog, de-me respostas concretas sobre as minhas questoes sobre o vulturismo cultural e talvez possamos reactar a conversa...
Eu nao o conheco, o senhor nao me conhece (alias devo dizer que no meio disto tudo a unica pessoa que tem dado o seu verdadeiro nome, a sua cara e dados pessoais sou eu...), muito menos conhece a minha vida, e portanto nao lhe dou qualquer direito nem autoridade (... embora o meu pai ja' tenha falecido ele deu-me educacao suficiente, gracas a Deus, para dispensar licoes de "pais adoptivos" auto-instituidos...) para falar de mim nos termos em que fez neste seu ultimo comentario.
Tambem tenho discernimento suficiente para saber quem sao os meus verdadeiros amigos e esteja descansado que nunca fiz nada, pelo menos consciente ou voluntariamente, para os afastar sem qualquer motivo racional.
Quem me parece ter muitos ressentimentos aqui e' o sr. porque em praticamente todos os comentarios que me dirigiu desde que por aqui apareceu foi para me colocar questoes que nao sei se tanta gente entre os seus amigos aceitaria de tao bom grado e responderia tao abertamente e sem quaisquer ofensas pessoais. Mas sobre nenhuma dessas questoes me conseguiu convencer, e nao creio que tenha convencido tambem os outros frequentadores deste blog, de que tinha absoluta razao nas suas posicoes... lamento se assim e' e se nao consegue lidar com essa realidade!
De resto, eu ja' tinha dado esta questao por encerrada ontem e o repto que lancei no post foi este: "Estou disposta a debater civilizada, culta e inteligentemente, com quem estiver interessado, aqui ou em qualquer outra plataforma (que nao obviamente o blog da menininha), as questoes substantivas relativas a poesia, a arte e a cultura angolana em geral, que me moveram a dirigir-me inicialmente a professorita na maior das boas fes, mas que ela apenas soube transformar na pouca vergonha que culminou neste post"...
Se se sentir capaz de aceitar o repto sera' mais do que bemvindo, se nao, lamento mas, sem lhe pedir que nao volte ca', peco-lhe pelo menos que nao volte a comentar este post.

Muito obrigada e ate' qualquer dia!

Sailor Girl said...

Que coincidência incrível!...

Também no meu caso foi um horror!! Senti-me tão devassada que, num impulso horrível, apaguei os meus blogues!!! (menos o Estratégia Azul, pois teria que «afastar» dois bloggers que tinha convidado...)

O Atlântico Azul já está, agora o meu querido Luanda Azul... vai ter de esperar... :-(

Foi por isso que, quando decidi reabrir, me vi forçada a redigir o «Manifesto»!

MAS O QUE É QUE SE PASSA NO MUNDO QUE ANDA TUDO MALUCO?? O QUE É QUE SE PASSA COM OS PORTUGUESES QUE A CADA DIA QUE PASSA ENTERRAM CADA VEZ MAIS PORTUGAL???

Enfim...

KANDANDU, KOLUKI!!!

Koluki said...

Sailor Girl, minha querida amiga,

E' assim o mundo em que vivemos nos dias de hoje... La' diz o ditado "quem anda a chuva molha-se", mas sinceramente nao esperava que a blogosfera as vezes pudesse ser assim tao chuvosa!

Temos que nos proteger o mais possivel, embora nem sempre os guarda-chuvas nos cheguem...

Anyway, let's keep it up!

Cheers!

Koluki said...

Post Scriptum para O'Sanji:

Desde ontem que estive a tentar fazer sentido do seu comentario, porque como disse na minha resposta nao o consegui entender totalmente.
Entretanto ocorreu-me que talvez se tenha sentido incluida no que eu referi como 'doentia entourage de mulherzinhas cuja melhor classificação é “sycophantic ignorants”'... So' isso me permite fazer sentido de partes do seu comentario, porque notei que a O'Sanji foi a primeira a comentar aquele post sobre a Paula Tavares.
Se foi esse o caso, devo dizer-lhe que fiz aquele comentario na vespera de ele ter sido publicado no blog da ACGM, quando ainda nao havia la' qualquer outro comentario. Acontece que eu tenho estado a ter problemas nos ultimos dias para colocar comentarios noutros blogs. Isso aconteceu-me naquele dia naquele blog, depois aconteceu-me em sucessivos dias no blog do Denudado e hoje no Atlantico Azul. Por isso, como ja' era tarde naquele dia, no dia seguinte postei-o a partir de um internet cafe' e nessa altura talvez o seu comentario ja' la' estivesse, mas garanto-lhe que o meu comentario absolutamente nada teve a ver consigo! As mulheres a que me refiro sao todas angolanas que eu conheco e eu nao conheco a O'Sanji, nem sei se e' angolana.
Portanto, espero que pelo menos essa questao fique de vez esclarecida.

Quanto ao problema que estou a ter com os comentarios, e por causa disso o comentario que hoje postei no blog da Sailor Girl tambem foi a partir de um internet cafe, ainda nao sei ao que se deve, mas o que acontece e' que quando se abre a janela dos comentarios aparece-me uma mensagem de erro a dizer qualquer coisa como "page not found on this server". Portanto, talvez seja um problema com o meu servidor, possivelmente devido a mudanca de settings que fiz quando o tornei privado... Nao sei.