Sunday, 26 August 2007

FUNGE DE DOMINGO (RECIDIVUS)*


FUFU (FUNGE in Angola)

Fufu (Foo-foo, Foufou, Foutou, fu fu) is to Western and Central Africa cooking what mashed potatoes are to traditional European-American cooking. There are Fufu-like staples all over Sub-Saharan Africa: i.e., Eastern Africa's Ugali and Southern Africa's Sadza (which are usually made from ground corn (maize), though West Africans use maize to make Banku and Kenkey, and sometimes use maize to make Fufu. Fufu is a starchy accompaniment for stews or other dishes with sauce. To eat fufu: use your right hand to tear off a bite-sized piece of the fufu, shape it into a ball, make an indentation in it, and use it to scoop up the soup or stew or sauce, or whatever you're eating.

(For more details see the Congo Cookbook)

...

For some food for thought see the attached article, taken from the interesting blog "Cultural Vulturism".

...

Sobre “vulturismo cultural”, ver ainda, no contexto Indio-Americano, sinopse de uma Conferencia (“Meeting of Indian Professors Takes Up Issues of ‘Ethnic Fraud’, Sovereignty and Research Needs”), onde se pode ler o seguinte: “Cultural vulturism has increased in recent years in spite of the efforts of Indian intellectual criticisms. More needs to be done.” NESTA pagina. (... De notar que os tais Professores Indios devem ser uma "kambada de ignorantes, racistas, complexados e constrangidos"... para dizer o minimo!)

...

Ja' agora, ver tambem ESTA DISCUSSAO (... De notar que o autor do argumento aqui reproduzido nao deve passar de um "invejoso, rancoroso, frustrado e muito de mal com a vida e com o mundo, enfim, um petit-rien"... para nao dizer mais!)

...

[Neste "Dia da Terra" tentemos olhar para a nossa bola de funge como uma representacao do planeta em que vivemos e dessa terra sem a qual nao poderemos continuar a plantar e a colher o milho, a mandioca ou o yam com que milhoes de nos nos alimentamos e mantemos vivos ha' milenios... com que milhoes de filhos desta terra reproduziram as suas energias para a construcao de um 'Novo Mundo' dentro e fora de Afrika.

Vamos Reunir... Vamos encontrar a Harmonia...
Vamos falar da Terra... Vamos esquecer a Guerra!]

...





Free file hosting by Ripway.com




Reunir (Funge de Domingo) - Teta Lando


*(First published 22/04/07)

FUFU (FUNGE in Angola)

Fufu (Foo-foo, Foufou, Foutou, fu fu) is to Western and Central Africa cooking what mashed potatoes are to traditional European-American cooking. There are Fufu-like staples all over Sub-Saharan Africa: i.e., Eastern Africa's Ugali and Southern Africa's Sadza (which are usually made from ground corn (maize), though West Africans use maize to make Banku and Kenkey, and sometimes use maize to make Fufu. Fufu is a starchy accompaniment for stews or other dishes with sauce. To eat fufu: use your right hand to tear off a bite-sized piece of the fufu, shape it into a ball, make an indentation in it, and use it to scoop up the soup or stew or sauce, or whatever you're eating.

(For more details see the Congo Cookbook)

...

For some food for thought see the attached article, taken from the interesting blog "Cultural Vulturism".

...

Sobre “vulturismo cultural”, ver ainda, no contexto Indio-Americano, sinopse de uma Conferencia (“Meeting of Indian Professors Takes Up Issues of ‘Ethnic Fraud’, Sovereignty and Research Needs”), onde se pode ler o seguinte: “Cultural vulturism has increased in recent years in spite of the efforts of Indian intellectual criticisms. More needs to be done.” NESTA pagina. (... De notar que os tais Professores Indios devem ser uma "kambada de ignorantes, racistas, complexados e constrangidos"... para dizer o minimo!)

...

Ja' agora, ver tambem ESTA DISCUSSAO (... De notar que o autor do argumento aqui reproduzido nao deve passar de um "invejoso, rancoroso, frustrado e muito de mal com a vida e com o mundo, enfim, um petit-rien"... para nao dizer mais!)

...

[Neste "Dia da Terra" tentemos olhar para a nossa bola de funge como uma representacao do planeta em que vivemos e dessa terra sem a qual nao poderemos continuar a plantar e a colher o milho, a mandioca ou o yam com que milhoes de nos nos alimentamos e mantemos vivos ha' milenios... com que milhoes de filhos desta terra reproduziram as suas energias para a construcao de um 'Novo Mundo' dentro e fora de Afrika.

Vamos Reunir... Vamos encontrar a Harmonia...
Vamos falar da Terra... Vamos esquecer a Guerra!]

...





Free file hosting by Ripway.com




Reunir (Funge de Domingo) - Teta Lando


*(First published 22/04/07)

3 comments:

António Clemente said...

Muito obrigado pelo funji, pela mensagem e pela música!

Koluki said...

Nao tem nada que agradecer meu conterra!
O funge/funji e todos os seus condutos sao de/para todos nos!!!

Koluki said...

Comentarios relativos a sabotada entrevista ao Szavanna recuperados para aqui por neles se falar de Teta Lando:

Denudado said...
Koluki, gostei da entrevista e não tenho nada a objectar às suas escolhas musicais. No entanto, parece-me que poderia referir alguns nomes importantes que ficaram de fora, certamente por esquecimento. É o caso de Waldemar Bastos, Filipe Mukenga, Paulo Flores, Rui Mingas e outros ainda. Recuando mais no tempo, poderia citar também Lilly Tchiumba, Duo Ouro Negro, Belita Palma, Zé Viola, Minguito, Visconde de Castro, Carlos Lamartine, António Paulino, Sabu, Jovens do Prenda, Super Coba, Cabinda Ritmos, Super R3, etc. etc.

Do Alberto Teta Lando se dizia que ele ganhava tanto dinheiro a cantar, que o pai dele dormia num colchão recheado de notas de banco. Note-se que o que se dizia não era que o pai do Teta Lando tinha notas no colchão, mas sim que todo o colchão estava recheado só com notas! O povo inventa cada história...

Sobre o acordeonista e cantor Minguito, que era cego, contava-se que um dia lhe fizeram uma partida, dizendo-lhe que o iam levar até Lisboa. Meteram-no num avião, que levantou voo, deu duas ou três voltas por cima de Luanda e voltou a aterrar. Dizia-se que o cego Minguito julgou que tinha chegado mesmo a Lisboa e que foi muito difícil convencê-lo de que tinha sido alvo de uma partida e que realmente não tinha sequer saído de Luanda...

A saudosa Lourdes van Dunem, além de cantora, era locutora da estação de rádio Voz de Angola. Nesta sua função, ela recebia muitas cartas de admiradores seus, como facilmente se compreende. Algumas dessas cartas eram provocatórias, pois se dizia que ela era "muito boa". Um dos ouvintes escreveu-lhe uma vez pedindo-lhe que lhe ensinasse, ao microfone, como é que se faz amor... A Lourdes van Dunem ter-lhe-á respondido desta forma: «É casado? Namora? Se já é casado, então não precisa que lhe ensinem, porque já sabe como é que se faz. Se namora, peça então à sua namorada que lhe ensine. Se não é casado nem sequer namora, então ainda tem muito tempo para aprender»...

Saturday, July 07, 2007
Koluki said...
Denudado: tem graca que acabo de encontrar um comentario um pouco na linha do seu (embora para pior, infelizmente...) no Szavanna.
Ora bem, como tive oportunidade de mencionar na minha resposta ao tal comentario, isto tratou-se de uma breve entrevista pessoal, para um blog pessoal... nao uma entrevista 'oficial' ou 'oficiosa' sobre a 'historia da musica angolana'... se o fosse eu recusar-me-ia certamente a presta-la e encaminharia a Anna ao mais velho Jorge Macedo!
Se o Denudado, ou a pessoa que fez o tal comentario, ou qualquer outra pessoa para esse efeito, tivessem sido os entrevistados, teriam tido a oportunidade de fazer as suas proprias listas de escolhas e preferencias. Esta foi apenas a minha... que, de resto, digo logo no inicio da frase, e' extraida de uma longa lista!
De facto, muito provavelmente seria preciso entrevistar-se um universo de pessoas de pelo menos um miliao de pessoas para cada artista angolano (passe o exagero)para se ter uma lista completa e verdadeiramente "representativa" do universo musical angolano. Portanto, garanto-lhe que os que "ficaram de fora" da MINHA lista, nao foi por "esquecimento"... nem tao pouco por "desprezo", foi apenas porque nao poderia de forma nenhuma citar TODOS os artistas angolanos que merecem ser citados, como alias a lista do Denudado o indica claramente, porque tambem deixa de fora uma serie de nomes que eu tambem nao citei ... E foi precisamente por essa razao que fiz questao de citar as compilacoes da 'Buda Musique' porque praticamente todos eles estao la' incluidos e tambem porque apresenta o que considero o melhor "resumo da historia da musica angolana" que conheco. Alias, foi tambem por isso que fiz desses albums varias referencias aqui no meu blog.
Agora, sobre as anedotas que conta: nao me parece que a proveniencia do dinheiro do pai do Teta tenha sido da sua musica, mas sim das suas propriedades. Mas apetece perguntar: tera' sido por isso que ele foi morto como foi e por quem foi?
A esse proposito, uma das "historias de Angola" que ainda estao por ser contadas e' a da expropriacao de angolanos negros proprietarios de terras e fazendas de pequeno, medio ou ate' grande porte no Norte de Angola. O meu avo paterno foi um deles, tendo por isso fugido para o Zaire no inicio da decada de 60, de onde voltou apenas depois da (nossa) Dipanda... apenas para ser chamado tambem 'regres' e 'zairois' em Luanda... ele que era Catetense de gema!

A 'naivete' do Minguito e' legendaria e e' o faz tambem um pouco a "magia encantatoria" da musica dele: "ai esse tango, ai esse tango, e' o tango que me diz a respeito da minha vida", ou "nossa sra. de Santa Ana venho pedir ajuda com tanta pobreza" (sei que esta citacao nao e' muito fiel a letra)...

Quanto a 'tia' Lourdes Vandunem, ela soube sempre ser uma senhora...

Saturday, July 07, 2007